A História Que a Manhã Contou ao Tempo

Agora em áudio!

Você que não viu no teatro vai ter a oportunidade de ouvir na Rádio!
Você que já viu no teatro é uma oportunidade de relembrar!
Cena da peça "A História Que a Manhã Contou ao Tempo" da Cabriola Cia de Teatro

Crítica (por Ricardo Schopke - RJ):

Tendo como inspiração o belo texto O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá de Jorge Amado, “A História que a Manhã contou ao Tempo” da Cabriola Cia de Teatro de Salvador foi um dos grandes destaques entre as Atrações Convidadas da 7o FENATIFS. Uma outrora impossível história de amor entre um gato mal humorado e uma linda e amigável andorinha é o fio condutor desta poética história conduzida com lirismo, plasticidade – destaque para os belos figurinos simbólicos (Etiene Bouças) e para o uso de escadas, e  guarda-chuvas que marcam as estações do ano (Heraldo Souza) -, e contendo teatro de animação (Grupo Ereoatá e Cabriola Cia de Teatro), belas composições musicais (Heraldo Souza), e um jogo teatral repleto de partituras corporais, teatro físico e teatro narrtativo. A direção e adaptação feitas por Heraldo Souza, que divide também a cena com a atriz Etiene Bouças é de extrema delicadeza, precisão, seriedade; além de imprimir um belíssimo tom solene e melancólico à linda história. A encenação de “A História que a Manhã contou ao Tempo” é uma grata surpresa de um bom teatro realizado com muitos critérios, para a infância e juventude.

Leia mais sobre o espetáculo: CLIQUE AQUI



Dias 07 e 08 de novembro (sábado e domingo), 10h e 16h, dentro do programa "A Hora da Criança".
Para ouvir no site: www.radiocabriola.com
Para ouvir no celular, baixe nosso aplicativo: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.maxcast.radiocabriola&hl=pt_BR




Receita prepara multa de R$ 15 milhões para políticos e servidores de São Paulo

Estadão Conteúdo


Com base em projeto piloto desenvolvido durante o ano de 2015 e na experiência adquirida em fiscalizações que vêm sendo efetuadas no âmbito da Operação Lava Jato, a Receita Federal deflagrou o Projeto Herança, que tem como foco agentes públicos e políticos que apresentam indícios de enriquecimento ilícito e situação incompatível com sua renda e valores declarados ao Fisco.

O projeto piloto, desenvolvido na cidade de São Paulo pela Delegacia Especial de Fiscalização de Pessoas Físicas (DERPF), envolveu 15 ações de fiscalização que deverão resultar em autos de infração da ordem de R$ 15 milhões.

A média de R$ 1 milhão por auto de infração é bastante superior à observada nos lançamentos das pessoas físicas em geral que, em São Paulo, nos últimos cinco anos, têm valor médio de R$ 680 mil.

Segundo a Receita, tal diferença demonstra que, efetivamente, esse grupo específico de contribuintes - de agentes públicos e políticos - 'apresenta maior risco'.

O projeto piloto foi desenvolvido independentemente da atuação da Receita Federal na Operação Lava Jato, que conta com a participação de 50 auditores fiscais. Na Lava Jato, as mais de 250 ações fiscais já abertas deverão resultar em lançamentos - em pessoas físicas e jurídicas - da ordem de bilhões de reais.

Fábio Ejchel, superintendente-adjunto da Receita Federal em São Paulo, assinala que o órgão tem autonomia:

"É muito importante ressaltar que a Receita é um órgão totalmente independente, não sofre nenhum tipo de ingerência política, nenhum tipo de impedimento na fiscalização de qualquer contribuinte. Não tem nenhum compromisso com ninguém, nem a obrigatoriedade de fiscalizar esse ou aquele contribuinte. A Receita exerce um trabalho eminentemente técnico, despolitizado, apartidário. Todos os cargos na Receita são ocupados por servidores de carreira, concursados, sem indicação política. É isso que nos permite fazer esse tipo de operação, independente de quem sejam os contribuintes envolvidos."

Ejchel destaca que a Receita 'tem liberdade para fazer o seu trabalho, aquilo que for necessário'. "Ao mesmo tempo, a Receita se movimenta com toda a responsabilidade na execução de sua missão. A responsabilidade é toda nossa."

A Receita informa que 'o aprendizado adquirido foi muito útil já que algumas formas de sonegação foram mapeadas e podem ter sido utilizadas de forma semelhante por outras pessoas não envolvidas diretamente naquela operação'.

Projeto Herança deverá envolver, também, uma busca por patrimônio não declarado à Receita. Essa busca será feita através de pesquisas junto a órgãos de registro de aeronaves, embarcações, imóveis e automóveis de alto luxo.

O projeto tem a participação de auditores fiscais e analistas-tributários que trabalham no Laboratório de Tecnologia contra Lavagem de Dinheiro sediado em São Paulo.

O projeto foi batizado Herança pois representa, na visão da Receita, um importante legado que será deixado para as futuras gerações.


Fonte: Brasil Post

Receita já emitiu quase um milhão de guias de recolhimento do eSocial

Daniel Lima – Repórter da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger

A Receita Federal informou que até as 11 horas de hoje (6) mais de 984 mil Documentos de Arrecadação do eSocial (DAE) haviam sido emitidos. O número equivale a aproximadamente 82% dos cerca de 1,2 milhão de empregadores que se cadastraram no sistema e registraram vínculos de emprego com mais de 1,28 milhão de empregados – já que alguns empregadores contratam mais de um funcionário.

De acordo com a Receita, quem obteve a emissão da guia com vencimento em 6 de novembro tem duas opções: pagar o documento com a data de vencimento original ou imprimir uma nova guia para pagamento até o dia 30.

Problemas na emissão da guia de recolhimento no site do eSocial, levaram o governo a adiar a data do pagamento. Ontem (5), o Diário Oficial publicou, em edição extraordinária, a portaria interministerial que prorrogou para o final do mês o prazo.




Eduardo Cunha diz que vai preparar sua defesa com tranquilidade

Carol Gonçalves - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), deve ser notificado até o fim do dia de hoje (5) sobre a escolha de Fausto Pinato (PRB-SP) como relator do processo contra ele no Conselho de Ética. O deputado será investigado por receber propina para viabilizar negócios da Petrobras e de manter contas secretas na Suíça, negadas por ele em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras.

Eduardo Cunha disse que é indiferente ao nome do relator do processo contra eleAntonio Cruz/Agência Brasil

Cunha só precisará apresentar defesa a partir da apresentação do relatório preliminar, que indicará ou não a continuidade da representação.

Segundo o presidente do colegiado, José Carlos Araújo (PSD-BA), isso ocorrerá no próximo dia 24, caso Pinato não resolva antecipar suas conclusões. O peemedebista terá dez dias para tentar convencer os parlamentares de que é inocente.

"No momento correto, depois que estiver efetivamente no prazo de defesa, meus advogados irão contestar todos os pontos. Já nomeei advogado para o Conselho de Ética e vai ser tratado com toda a calma e tranquilidade”, afirmou.

Antes do anúncio do relator, Cunha disse que é “indiferente” ao nome e negou notícias divulgadas hoje de que comentou com colegas como sustentaria sua defesa diante do colegiado.

“É igual ao parecer do impeachment da semana passada, que ninguém viu até hoje. É a mesma situação. Não tenho o que comentar porque não existe. Cadê o parecer que não apareceu até hoje? Eduardo Cunha comparou com reportagens veiculadas há uma semana, as quais confirmavam que dois pareceres – um contrário e um favorável - sobre o pedido de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff estavam prontos.

Paulinho da Força

Perguntado sobre notícias de que o deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP) passará a integrar o Conselho de Ética a partir da próxima semana, para substituir o deputado Wladimir Costa (SD-PA), o presidente da Câmara tentou afastar especulações de que isso o beneficiaria no processo.

“Tem muitos aliados meus que estão e muitos adversários que estão também. Essa coisa não pode ser tratada dessa maneira. Ninguém pode ser estigmatizado por ser meu aliado e nem condenado por ser meu adversário”, acrescentou.

Impeachment

A Câmara aguarda uma decisão de Cunha sobre o pedido de impeachment contra Dilma Rousseff apresentado no último dia 21. Hoje, o presidente da Casa informou que está esperando o Supremo Tribunal Federal (STF) extinguir ações relacionadas à questão de ordem que respondeu em plenário, definindo como seria a tramitação de um possível pedido na Casa.

Há sete dias Cunha desistiu do rito que havia proposto, alinhando com a decisão de dois ministros do STF.  Teori Zavascki e Rosa Weber concederam três liminares suspendendo a decisão do deputado e decidiram que os processos devem seguir a Constituição e a Lei 1.079 de 1950, que regulamenta a tramitação de pedidos de impeachment.

Prícipe japonês

No início do dia, Eduardo Cunha recebeu o príncipe e a princesa do Japão, Akishino e Kiko, em sessão solene em homenagem aos120 anos do Tratado de Amizade e Relações Diplomáticas entre Brasil e Japão.

Ao chegar ao Congresso, a comitiva do príncipe contornou o gramado em frente ao prédio principal onde um grupo de manifestantes está acampado há mais de uma semana, reivindicando a aprovação do pedido de impeachment.

Cunha disse que o cenário não incomodou Akishino. Segundo ele, os dois comentaram o protesto de forma descontraída. “É coisa da democracia. A mim não incomodou. Nem a ele. Depois que informei que a manifestação não era contra ele e que ele ficasse tranquilo, o príncipe riu”, concluiu o presidente da Câmara.




País comemora dez anos de iniciativa para controle do tabaco

Marieta Cazarré – Repórter da Agência Brasil Edição: Maria Claudia

Há dez anos o Brasil entrava na Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco da Organização Mundial da Saúde, criada para conter a epidemia mundial do tabagismo. Neste período, o país registrou importante redução no número de fumantes, principalmente entre homens jovens e com menor escolaridade. O número de fumantes masculinos reduziu de 43,3% em 1989 para 18,9% em 2013. Entre as mulheres o índice caiu de 27% para 11% no mesmo período.

“Ser membro da Convenção-Quadro é um desafio, mas temos a certeza de que essas diretrizes são fundamentais para avançarmos na qualidade de vida e longevidade da população”, disse hoje (5) o ministro da Saúde, Marcelo Castro, que participou da cerimônia em comemoração à data, na sede da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), em Brasília

Segundo estudo recente feito pelo Instituto Nacional de Câncer José de Alencar Gomes da Silva (Inca), em parceira com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil se destacou positivamente no que se refere à redução do tabagismo entre homens com menos anos de instrução formal. Na maioria dos países, esta redução é menor entre as pessoas com menor escolaridade, por diversas razões, como uma maior dificuldade de acesso a informações e tratamento. Mas a tendência não se confirma no Brasil, pelo menos entre os homens.

O estudo apontou outra evolução positiva na população masculina: o aumento no número de homens com menos de 25 anos que pararam de fumar (24,8% em 2008 para 32,6% em 2013) foi muito maior do que entre os homens com mais de 25 anos (52,9% para 55,1%). “No mundo inteiro o Brasil é referência pelo êxito nas políticas de combate ao tabagismo. A redução do número de fumantes, quando já tivemos quase 40% de fumantes no país, é uma vitória que devemos comemorar, mas ao mesmo tempo nos deixa alertas para continuar na luta. disse o ministro da Saúde.

O tabagismo continua a ser um dos maiores problemas de saúde pública no Brasil, de acordo com o estudo do Inca. Em 2011, o tabagismo foi responsável por 147 mil óbitos, 157,1 mil infartos agudos do miocárdio, 75,6 mil acidentes vasculares cerebrais e 63,7 mil diagnósticos de câncer.

Segundo dados divulgados pelo Inca, o número de fumantes masculinos reduziu de 43,3% em 1989 para 18,9% em 2013. Entre as mulheres o índice caiu de 27% para 11% no mesmo período.

A convenção foi o primeiro tratado internacional de saúde pública sobre tabaco, adotada pela Assembleia Mundial da Saúde em 21 de maio de 2003. Já foi ratificada por 180 países e, no Brasil, ela é usada como mapa da Política Nacional de Controle do Tabaco (PNCT).


Indonésia reabre aeroporto de Bali, após dois dias de serviços suspensos

Da Agência Lusa


O aeroporto de Bali reabriu hoje (5), após dois dias fechado devido à erupção de um vulcão, cujas nuvens de cinzas obrigaram o cancelamento de centenas de voos para a ilha mais turística da Indonésia, informaram as autoridades.

As nuvens de cinzas provenientes do Monte Rinjani – um vulcão ativo com 3.726 metros de altitude na ilha vizinha de Lombok – abandonaram o céu de Bali devido aos ventos favoráveis, disse um dos responsáveis pelo aeroporto Yulfriadi Gona.

Assim, o Aeroporto Ngurah Rai International nesta quinta-feira. O terminal estava fechado desde a tarde de terça-feira e era previsto que voltaria a funcionar apenas amanhã.

Cerca de 700 voos com partida ou com destino a Bali, 320 dos quais internacionais, foram anulados, prejudicando milhares de passageiros, incluindo numerosos turistas.


Devolução de impostos da maconha? Eleitores do Colorado preferem que R$ 249 milhões sejam investidos

Brasil Post  |  De Rafael Nardini


Os eleitores do Colorado, nos Estados Unidos, concordaram nesta terça-feira em permitir que o estado fique com os US$ 66 milhões (R$ 249 milhões) recolhidos em impostos na venda da maconha. A estimativa inicial era de que a arrecadação fosse de US$ 40 milhões (R$ 151 milhões).

É que um erro de contabilidade do governo local poderia forçar o estado a reembolsar e redistribuir o montante entre os contribuintes e cultivadores da planta. Por conta disso, aliás, o estado já havia promovido em setembro um dia de vendas do produto livre de impostos.


Obedecendo uma emenda estadual de 1992, novos impostos locais precisam ser referendados no Colorado, daí a necessidade de votação, como a realizada ontem. Quando a arrecadação supera as estimativas, há a prerrogativa de devolver o dinheiro aos cidadãos. Também foram os próprios eleitores do Rocky Mountain State que aprovaram, anos atrás, a taxação de 15% sobre a droga, distribuindo a verba para educação e outros investimentos.


Portanto, os US$ 66 milhões excedentes deverão ser utilizados na construção de escolas e políticas educacionais e informativas sobre as drogas e outros projetos governamentais.

A votação organizada nesta terça, segundo informações da AP, contou com amplo apoio de democratas, republicanos, da indústria da maconha e de praticamente todos jornais locais.


Fonte: Brasil Post

Araújo adia anúncio do nome do relator do processo que pede a cassação de Cunha

Brasil Post  |  De Grasielle Castro



O presidente da Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, José Carlos Araújo (PSD-BA), adiou para quinta-feira (5) o anúncio de quem vai relatar o processo que pede a cassação do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Na terça-feira, Araújo sorteou três nomes entre eles quem receberá a missão. “Talvez a mais difícil que já passou por este conselho”, definiu o deputado.

Ele disse que passou o dia conversando com os sorteados Zé Geraldo (PT-PA), Fausto Pinato (PRB-SP) e Vinícius Gurgel (PR-AP) e pessoas próximas a eles.

“Foi um dia exaustivo. Não me ative só aos deputados. Este processo é muito difícil e eu não posso errar, não posso escolher o relator errado.”

Perguntado sobre o que seria o relator errado, o deputado se esquivou. Uma das pessoas com quem ele conversou foi o líder do PRB, correligionário de Pinato, Celso Russomano (SP).

“Ele está cotado para a Prefeitura de São Paulo, com 34% das intenções de voto. É preciso saber como ele vai agir, se o partido vai se envolver ou não na relatoria.”

De acordo com Araújo, Russomano garantiu que não vai se intrometer. O presidente da comissão aproveitou para negar que tenha algum deputado preferido para relatar o caso e acrescentou que conversou com aliados dos demais políticos, mas não teve autorização para revelar os nome.

O escolhido terá dez dias para apresentar um relatório preliminar, no qual apresentará argumentos para a decisão de arquivar ou não a denúncia.

O Psol e a Rede, autores do processo que pede a cassação de Cunha, apresentaram uma série de argumentos contra o presidente da Casa, como a delação premiada de Julio Camargo, que acusa o peemedebista de ter cobrado propina, as contas na Suíça e a suspeita de que ele tenha mentido na CPI da Petrobras, ao dizer que não tinha contas bancárias no exterior.


Fonte: Brasil Post

Dilma reconhece embaixador indonésio após crise por execução de brasileiros

Reuters


Nove meses depois de ter se recusado a receber as credenciais do embaixador da Indonésia no Brasil, Toto Riyanto, em um gesto diplomático duro e sem precedentes na diplomacia brasileira, a presidente Dilma Rousseff recebeu nesta quarta-feira (4) finalmente as cartas do diplomata indonésio, em uma cerimônia com outros 21 embaixadores.

Desde fevereiro, a Indonésia estava sem embaixador no Brasil. Ao ter as credenciais recusadas, Riyanto foi chamado de volta a Jacarta e o governo indonésio afirmou que ele só voltaria após ter uma nova cerimônia marcada. De fato, fontes do Itamaraty confirmaram à Reuters que o embaixador chegou ao Brasil apenas no último sábado (1º).

Durante a cerimônia, Riyanto foi o quarto embaixador a entregar suas credenciais a Dilma. E também um dos que menos tempo ficaram com a presidente --apenas a embaixadora da Letônia, Alda Vanaga, recebeu menos atenção do que o indonésio.

Dilma ficou pouco mais de um minuto com Riyanto. Deu as boas-vinda ao embaixador e mandou votos de felicidade e prosperidade ao presidente da Indonésia, Joko Widodo.

Riyanto foi nomeado para o Brasil em novembro de 2014, e seria apresentado em fevereiro deste ano, em meio à crise causada pela decisão da Indonésia de executar dois brasileiros condenados por tráfico de drogas. Um mês antes da cerimônia, Marcos Archer havia sido fuzilado. Rodrigo Gularte ainda esperava a execução, e o governo brasileiro tentava comprovar que o brasileiro sofria de esquizofrenia, o que deveria impedir sua execução. Gularte foi executado em abril.

Inicialmente, Dilma pretendia tratar do tema com Riyanto. De última hora, no entanto, com o embaixador já no Itamaraty --ele seria o primeiro a entregar suas credenciais-- a presidente decidiu não recebê-lo.

Coube ao ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, avisar a Riyanto que ele não poderia apresentar suas credenciais, e o embaixador foi retirado por uma porta lateral do Palácio do Planalto.

O incidente causou uma séria crise diplomática com a Indonésia. O governo do país chamou o embaixador do Brasil em Jacarta para consultas, e Riyanto voltou à Indonésia no dia seguinte. Nesse período, o Itamaraty manteve contatos com o Ministério das Relações Exteriores do país na tentativa de manter aberto o diálogo, apesar da crise. O recebimento das credenciais marca o fim na crise na visão dos diplomatas.

No entanto, há duas semanas, o Brasil abriu um novo flanco de disputa com o país ao questionar a Indonésia na Organização Mundial do Comércio (OMC), alegando que o governo da Indonésia impede a importação de frango brasileiro.

O Itamaraty, no entanto, acredita que isso não prejudicará ainda mais a relação entre os dois países, já que os questionamentos na OMC são vistos como naturais nas relações diplomáticas e comerciais.


Fonte: Brasil Post

Governo define regras para instalação de pontos de repouso nas rodovias

Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil Edição: Beto Coura

O Ministério dos Transportes definiu as regras para o reconhecimento dos pontos de repouso para motoristas em rodovias federais. A construção dos pontos de descanso consta da Lei do Caminhoneiro, sancionada em março pela presidenta Dilma Rousseff. Os estabelecimentos comerciais deverão atender a algumas condições, como, por exemplo, não vender, fornecer e permitir o consumo de bebida alcoólica.

A portaria, publicada no Diário Oficial da União de hoje (4), estabelece que é função do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes e da Agência Nacional de Transportes Terrestres, de acordo com suas respectivas esferas de atuação, fazer o reconhecimento dos pontos de parada e descanso.

O ponto deve ter chuveiro, com água quente, e suportes adequados; sinalização vertical e horizontal, informando as regras de movimentação, as áreas destinadas ao estacionamento e ao pátio de manobra de veículos.

Deverá haver também sinalização vertical indicando as instalações sanitárias e de refeições, e pavimentação ou calçamento nos locais de espera, de repouso e de descanso situados em rodovia pavimentada.

Segundo a lei, o Poder Público terá cinco anos para ampliar a disponibilidade dos locais de repouso e descanso nas estradas, inclusive por meio da exigência de sua abertura pelas concessionárias de rodovias.


Comissão Europeia pede explicações a Volkswagen sobre novas irregularidades

Da Agência Lusa Edição: Juliana Andrade

A Comissão Europeia pediu hoje (4) a Volkswagen para esclarecer as novas irregularidades na certificação de emissões de dióxido de carbono (CO2), situação que o fabricante alemão de veículos reconheceu ontem (3).

Lucía Caudet, porta-voz do executivo de Bruxelas para a Indústria, afirmou que agora o mais importante “é apurar os fatos” e, por isso, a Volkswagen deve acelerar suas investigações internas.

“Temos que esclarecer imediatamente quais irregularidades nas emissões de CO2 foram detectadas, o que as provocou, quais os automóveis afetados, em que países e que medidas serão tomadas pelo grupo para corrigir a situação”, disse Lucía.

Na terça-feira (3), a empresa alemã admitiu que, além dos problemas já conhecidos na emissão de óxido de nitrogênio, foram detectadas irregularidades na certificação de emissões de CO2, sem especificar marcas ou modelos. O fabricante indicou, porém, que 800 mil veículos foram afetados.

Caso se confirmem falsificações e violação das regras comunitárias, a Volkswagen poderá sofrer sanções, como ocorreu com a italiana Ferrari e a russa Avtovaz.

O desrespeito dos limites impostos nas emissões de CO2  prevê multa de $5 euros para cada 1 grama de emissão além previsto por quilômetro; $ 15 euros para 2 gramas acima do previsto e $ 25 euros para 3 gramas. De 4 gramas adiante, o valor previsto é $ 95 euros por automóvel.

A Comissão Europeia tem se mantido em contacto com a autoridade alemã que supervisiona o setor dos transportes com motor e tem analisado informações enviadas pela Volkswagen, acrescentou a porta-voz.

O assunto das emissões deve ser debatido amanhã (5) em uma reunião entre a comissão e as autoridades nacionais que aprovam veículos.


Wagner: contas do governo podem ter avaliação diferente da do TCU no Congresso

Karine Melo - Repórter da Agência Brasil Edição: Beto Coura

Antonio Cruz/ Agência Brasil
Os ministros da Casa Civil, Jaques Wagner, e da Advocacia-Geral da União, Luís Inácio Adams, entregaram pessoalmente, nesta quarta-feira (4), ao presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL), as explicações do governo para o atraso na transferência aos bancos públicos do dinheiro destinado ao pagamento dos programas socais.

Segundo Jaques Wagner, os argumentos são os mesmos apresentados ao Tribunal de Constas da União (TCU), mas a expectativa é que o entendimento no Congresso possa ser diferente.

“Todo julgamento é uma interpretação. Você tem à luz da Lei de Responsabilidade Fiscal uma interpretação dada pelo TCU e nós vamos debater aqui no Congresso para que à luz da mesma lei, em cima da técnica das leis que estão aí, nós possamos dar outra interpretação”, explicou.

Para exemplificar que no Congresso os pontos de vista podem ser diferentes, Wagner citou que um senador avaliou, durante a entrega das justificativas, que aquilo que foi chamado de empréstimo entre o banco e o Tesouro poderia ser interpretado como a prestação de serviço.

“A arte da democracia é o contraditório. Para isso, existem os advogados e os juízes. Vou insistir: muita gente perde na primeira instância, ganha na segunda e confirma a vitória na terceira. Não acho nada de anormal que o relatório prévio, que tem todos seus méritos, o juízo de valor feito pelos ministros do TCU, possa ser interpretado [de outra maneira]”, disse.

O ministro da Casa Civil não sabe prever o que vai sair da Comissão Mista de Orçamento e do Congresso. “Óbvio que eu tenho expectativa que nossas razões sejam acolhidas e que as contas da presidenta Dilma sejam aprovadas. Eu não vejo porque macular um julgamento ou outro. Todos dois têm legitimidade”, disse Jaques Wagner.

Segundo o advogado-geral da União, Luís Adams, a defesa entregue hoje, com pouco mais de 50 páginas, traz dez pontos principais. O documento insiste que não há elementos para rejeitar as contas de 2014 da presidenta Dilma. Em relação aos decretos editados pelo governo para permitir as operações, Adams ressaltou que existem decisões do TCU antigas em conformidade à prática nunca rejeitada, mas que desta vez foram desconsideradas.

“Sempre que se muda a jurisprudência, se muda para o futuro, e, neste caso, há uma jurisprudência nova. A própria questão técnica é controvertida no TCU. Outra área técnica do TCU emitiu um parecer em que contradiz parcialmente a questão da apuração de estatísticas ficais, que é o objeto da proposta de reprovação das contas”, argumentou.

As explicações do governo foram entregues também para a presidenta da Comissão Mista de Orçamento, senadora Rose de Freitas (PMDB-ES). Os argumentos serão analisados pelo relator do caso, senador Acir Gurgacz (PDT-RO). Ele terá 40 dias para apresentar um parecer.

Após esse prazo, os parlamentares deverão apresentar emendas ao relatório em 15 dias e, depois, Gurgacz terá outros 15 dias para apresentar o relatório final, para avaliação do Congresso. A expectativa, segundo a senadora Rose de Freitas, é que o relator se antecipe e deputados e senadores tomem a decisão sobre o assunto até o dia 17 de dezembro.

O presidente do Congresso, Renan Calheiros disse que tudo será resolvido com calma, porque na história do parlamento só o ex-presidente Getúlio Vargas teve as contas rejeitadas pelo TCU. Fora esse caso, nunca o Congresso recebeu um parecer pela rejeição total das contas de um presidente da República.

“Tudo nesse processo é novo, absolutamente novo. É fundamental garantir o contraditório, estabelecer regras para o processo e agilizar em função do aprofundamento da discussão. Nós estamos em um verdadeiro aprendizado com relação a julgamento de contas, sobretudo com parecer pela rejeição”, disse Renan.

Perguntado sobre o interesse da oposição em garantir a rejeição das contas para forçar a abertura de processo de impeachment da presidenta, o senador disse que não vê conexão entre os dois casos.

TIM e Oi acabam com tarifa diferenciada para outras operadoras e entre planos pós e pré-pagos

Estadão Conteúdo


Em meio a um cenário de inflação e desemprego crescentes, as operadoras de telefonia esperam um Natal mais duro para o setor este ano e um 2016 ainda difícil.

Como estratégia para reter usuários, a TIM resolveu extinguir a cobrança diferenciada de chamadas para outras operadoras, que eram até 40 vezes mais caras.

A TIM acredita que cerca de 11% das 265 milhões de linhas de telefonia móvel (voz) existentes hoje vão desaparecer nos próximos dois a três anos no País. A mudança está ligada à popularização do uso de aplicativos de mensagens e ao maior uso de smartphones.

A perspectiva de que os usuários abandonem o hábito de uso de mais de um chip de celular para economizar nas ligações levou a empresa a reformular seu portfólio.

Após o anúncio da TIM, a Oi comunicou também na terça-feira, a reformulação de seus planos de voz, igualando tarifas nas categorias pré e pós-pagos.

A decisão tomada pelas duas operadoras tem como reflexo a redução da tarifa de interconexão (VU-M) promovida pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

A partir de fevereiro de 2016, essa tarifa, hoje em R$ 0,16, passará a R$ 0,10. Em 2017, cairá a R$ 0,05. O valor é cobrado nas ligações entre operadoras diferentes.

A crise econômica acelerou o movimento das empresas, uma vez que os usuários buscam reduzir seus custos. As operadoras também querem inibir a troca de chips que permite ligações mais baratas.

No caso da Oi, a nova tarifa das chamadas, R$ 0,30 por minuto, representa uma queda de 80% em alguns casos - o que a companhia espera compensar com a expansão de sua base de clientes. A estratégia inclui ainda pacotes com quantidades preestabelecidas de minutos e dados móveis.

As novas ofertas da Oi incluem planos pré-pagos diários, semanais e mensais.

O valor médio da ligação entre usuários de operadoras diferentes era de R$ 1,50, 40 vezes mais caro que uma chamada de TIM para TIM, por exemplo.

A TIM ampliou a oferta de dados nos pacotes e acabou com as tarifas de roaming (DDD) nacional para planos pós-pagos. "Terá uma disputa por quem consolida esse mercado", diz o presidente da TIM, Rodrigo Abreu.


Fonte: Brasil Post

Após incidente diplomático, Dilma recebe credencial de embaixador da Indonésia

Yara Aquino - Repórter da Agência Brasil Edição: Graça Adjuto

A presidenta Dilma Rousseff recebeu hoje (4) as credenciais de 22 embaixadores que vão atuar no Brasil, entre eles o da Indonésia, Toto Riyanto. Em fevereiro, Dilma não recebeu a carta credencial do diplomata após o governo da Indonésia ter executado o brasileiro Marco Archer, condenado à pena de morte por tráfico de drogas. A presidenta intercedeu pelo brasileiro junto ao governo indonésio, mas não foi atendida.

Na ocasião, outro brasileiro, Rodrigo Gularte, também condenado à pena de morte na Indonésia pelo mesmo crime, aguardava execução. Após a cerimônia de fevereiro, a presidenta disse que havia adiado o recebimento das credenciais do diplomata até que se tivesse clareza sobre a condição das relações entre os dois países.

Hoje, ao receber as credenciais de Riyanto, Dilma conversou brevemente com o diplomata, a exemplo do que fez com os demais, e os dois posaram para fotos.

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, um embaixador assume o posto depois de entregar documentos ao governo do país onde irá atuar e Riyanto havia apresentado a documentação ao Itamaraty em novembro de 2014. A entrega das credenciais ao presidente da República é uma formalidade que aumenta as prerrogativas de atuação do diplomata no Brasil. Depois de Dilma não ter recebido as credenciais, o governo da Indonésia chamou Riyanto de volta a Jacarta.

No dia 17 de janeiro, Marco Archer foi fuzilado na Indonésia, em cumprimento à pena de morte por tráfico de drogas. Após a execução, Dilma convocou o embaixador brasileiro na Indonésia, um ato diplomático que demonstrou a insatisfação do Brasil. Mais tarde, em abril, Rodrigo Gularte, também foi executado.

As demais credenciais recebidas hoje pela presidenta foram dos embaixadores de Luxemburgo, da Letônia, do Turcomenistão, da Indonésia, da República Argelina Democrática e Popular, da Nova Zelândia, das Filipinas, da República Dominicana, da Costa Rica, do Malaui, da Coreia do Norte, da Coreia do Sul, dos Emirados Árabes, do Canadá, do Sri Lanka, França; do Mali, do Egito, do Sudão, do Gabão, da Eslovênia e da União Europeia.


Ciro Gomes diz que governo deve alterar política econômica para recuperar apoio

Luciano Nascimento - Repórter da Agência Brasil Edição: Graça Adjuto

Crítico contumaz do que chama de escalada do golpismo, o ex-ministro Ciro Gomes disse ontem (3) no programa Espaço Público, da TV Brasil, que a presidenta Dilma Rousseff está conciliando com os opositores que pedem o seu afastamento do cargo e que o governo deveria alterar os rumos da política econômica para recuperar o apoio popular.

“Neste momento, a Dilma está fazendo o oposto, estamos numa escalada golpista que é a mesma rigorosamente, os mesmos atores, partícipes, a presidenta está conciliando com aqueles que nos fazem a perseguição e isso torna esta crise mais explosiva que aquela”, disse o ex-governador do Ceará ao comparar a situação de crise vivida pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2005 e a situação atual.

Na ocasião, Lula também enfrentava forte oposição na Câmara dos Deputados, em razão do mensalão, que acabou elegendo o ex-deputado Severino Cavalcanti como presidente da Casa. Ciro comparou a eleição de Severino com a do atual presidente, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a quem acusa de intimidar o governo com a possibilidade de abertura do processo de afastamento.

“A Dilma teve sorte de o Ministério Público (MP) da Suíça ter mostrado que o picareta-mor da República é formador de quadrilha”, disse. “A história brasileira tem sido muito farsante. Só para relembrar: Severino foi cassado naquela ocasião por receber um cheque de R$ 10 mil mensais de um dono de lanchonete”.

Segundo Ciro, o governo deveria trabalhar pela saída de Cunha. Ele disse que o deputado ainda mantém apoio na Câmara por ter “distribuído” parte desses recursos, atribuídos a ele, no financiamento de campanha de outros parlamentares.  Ciro lembrou que, de acordo com o Ministério Público suíço, “R$ 411 milhões circularam nas contas e ele [Eduardo Cunha] mentiu dizendo que não tinha conta”.

Na entrevista, o ex-governador do Ceará condenou duramente a tentativa da oposição, liderada pelo PSDB, de abrir um processo de impeachment de Dilma. Para ele, a oposição não aceitou o resultado das eleições e quer “pegar um atalho” para chegar ao poder. “Boa parte do calor dessa crise deve-se a uma geração inteira de tucanos, para quem se a Dilma ficar no governo significa Lula mais oito anos a partir de 2018”.

Além de criticar o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, Ciro, que já foi do PSDB e ex-ministro da Fazenda de Itamar Franco, se disse decepcionado com o presidente da legenda, senador Aécio Neves (MG), a quem acusou de ter “desapreço às regras e ao calendário [eleitoral]”. Como pode um neto do Tancredo Neves escalar o golpe?”.

Filiado ao PDT desde setembro, o ex-ministro lembrou episódios da história recente do país e que Tancredo acompanhou, como o suicídio do ex-presidente Getúlio Vargas, em 1954, e o golpe contra o então presidente João Goulart, em 1964, “O Tancredo estava na reunião que antecedeu o suicídio de Getúlio e foi contra o golpe militar, ele foi primeiro-ministro de Goulart, e o Aécio joga isso tudo na lata do lixo. Está ressentido porque o [Geraldo] Alckmin vem aí para tomar o lugar dele [na disputa presidencial]”.

Ciro creditou boa parte da baixa popularidade do governo à atual política econômica e disse que isso não pode ser usado como argumento para pedir a saída de Dilma. “Baixa popularidade não é razão para impeachment”, afirmou o político.

Ele defendeu a redução na taxa Selic e afirmou que os juros altos só beneficiam os bancos. “O Brasil inteiro se ferrando, o povo indo pro brejo e os bancos ganhando 40% a mais do que ganharam no ano passado”.

Questionado por um dos entrevistadores, Ciro aconselhou Dilma a demonstrar com gestos práticos à população que ela não foi enganada”, entre eles a mudança na política econômica. “Ela [Dilma] é séria, não cometeu nenhum crime e tem o direito de mudar [a política econômica], pois está administrando mal a economia"

Ciro acusou o vice-presidente Michel Temer de conspirar contra o governo. “Temer está puxando o alambrado, basta comparar a postura dele com a do vice de Lula, José Alencar”, disse.

O ex-ministro da Integração Nacional de Lula fez críticas à atuação do ex-presidente, que, segundo ele, deveria adotar uma postura mais reservada diante do cenário político. “Ele está sendo uma figura ruim para o país ao se manifestar todo o tempo. Falo isso respeitosamente. Se ele não se recolher, vai perder a majestade”.

Ciro apontou como sintomático dessa exposição o episódio em que o filho mais novo de Lula, Luís Cláudio Lula da Silva, foi intimado para depor na Polícia Federal, em procedimento considerado fora do usual por ter acontecido após as 23h. “Esse delegado foi arbitrário. Como você faz isso com um filho de um ex-presidente, assim se mais nem menos?”.

De acordo com Ciro, tanto Lula quanto FHC deveriam adotar uma postura de reserva diante do cenário político. “Um ex-presidente da República deve ficar calado de maneira que, quando ele abrir a boca, o país todo ouça e se comova”.


Israel vai libertar palestino que fez dois meses de greve de fome

Da Agência Lusa

Israel vai libertar hoje (4) um palestino que sobreviveu a dois meses de greve de fome, depois de ficar detido durante um ano sem julgamento, informaram os serviços prisionais.

Mohammed Allan foi preso em novembro de 2014 e mantido sob custódia das autoridades, em “detenção administrativa”, que pode ocorrer sem julgamento, por períodos de seis meses, renováveis indefinidamente.

Em junho, Allan iniciou uma greve de fome de dois meses, que o deixou à beira da morte e contribuiu para o agravamento das tensões na Cisjordânia.

O Supremo Tribunal de Israel suspendeu a detenção em 19 de agosto passado, data em que o detido recebeu assistência médica devido à greve de fome, que o deixou em coma duas vezes.

A detenção foi renovada em setembro, após seu estado de saúde melhorar e receber alta do hospital.

Allan retomou, então, a greve de fome, mas cancelou a medida dois dias depois.

No final do mês, o Exército israelense anunciou que a detenção não seria renovada e que Allan seria libertado em 4 de novembro.

A porta-voz dos serviços prisionais confirmou que a libertação vai ocorrer hoje.

O grupo extremista Jihad Islâmica já anunciou que o advogado, de 31 anos, é seu membro.

A agência de segurança israelense, Shin Bet, indicou que, antes da sua detenção, Allan “estava em contato com terroristas do Jihad Islâmica”, com o objetivo de promover ataques de ampla dimensão.


Rússia diz ter bombardeado alvos na Síria graças a informações “da oposição"

Da Agência Lusa

O Exército russo anunciou nessa terça-feira (3) que, pela primeira vez, bombardeou alvos terroristas na Síria graças a informações passadas por representantes da oposição síria.

“Criamos um grupo de coordenação cuja composição não pode ser tornada pública, declarou o chefe das Operações Militares russas na Síria, o general Andreï Kartapolov.

Segundo ele, essa coordenação é baseada em uma “cooperação estreita” para unificar os esforços do exército leal ao presidente Bashar Al Assad e das forças patrióticas sírias, anteriormente da oposição.

“Essas forças patrióticas, embora tenham lutado durante quatro anos contra as forças governamentais, querem preservar um Estado soberano e unido”, disse Kartapolov.

O general não identificou quem são essas “forças patrióticas”, se o Exército Sírio Livre (ASL) ou outro grupo rebelde nacionalista, a oposição no exílio ou a tolerada pelo poder de Damasco. Ele disse, no entanto, que graças às "coordenadas” fornecidas pela oposição, 12 aviões russos bombardearam 24 alvos na região de Palmira, Deir Ezzor, Ithriya e a leste de Alepo, atingindo um centro de comando do grupo Estado Islâmico.

“Todas as coordenadas dos alvos foram dadas pelos representantes da oposição síria”, garantiu.

No total, os aviões russos fizeram 1.631 saídas e atingiram 2.084 alvos desde o início da intervenção militar em 30 de setembro.

Esta é a primeira vez que Moscou diz estar trabalhando com grupos da oposição síria desde que iniciou a ofensiva.


EUA multam fabricante japonês de airbag defeituoso

Da Agência Lusa

As autoridades norte-americanas anunciaram nessa terça-feira (3) uma multa recorde de US$ 200 milhões aplicada ao fabricante de airbags Takata, por ter omitido informação sobre um mecanismo defeituoso dos equipamentos.

A Administração Nacional para a Segurança nas Estradas dos Estados Unidos (NHTSA, na sigla em inglês) informou que o fabricante japonês tomou a decisão de não relatar dois incidentes ao órgão regulador, apesar de oito pessoas já terem morrido em casos relacionados com falhas no sistema dos airbags.

A agência disse que este é um comportamento padrão da empresa desde 2009 em relação ao governo norte-americano e aos fabricantes de automóveis que instalaram o equipamento da Takata em seus carros.

“Durante anos, a Takata fabricou e vendeu airbags com problema e recusou-se a admitir que eram defeituosos”, disse o secretário para os Transportes, Anthony Foxx.

A NHTSA informou também que determinou a 12 fabricantes de automóveis que acelerem a convocação dos carros às oficinas para substituir os equipamentos da Takata.

Cerca de 19 milhões de veículos norte-americanos e outros em diferentes países estão equipados com o airbag, cujo mecanismo pode explodir sem causa aparente, projetando estilhaços em direção aos condutores e passageiros.

Em Tóquio, a Honda anunciou que vai deixar de usar os airbags da Takata, cujos produtos levaram à chamada de milhões de carros em todo o mundo às oficinas, considerando que empresa “manipulou dados” em seus dispositivos.

“Sabemos da existência de provas que sugerem que a Takata deturpou e manipulou dados sobre testes de determinados insufladores dos seus airbags, informou a Honda, em comunicado publicado pela  subsidiária norte-americana.

Diante da situação, a fábrica japonesa de veículos assegura que “nenhum modelo novo da Honda ou Acura [outra marca do fabricante], atualmente em desenvolvimento, será equipado com o dispositivo de airbags frontais da Takata, para o condutor e passageiro”.

A Honda explica que tomou a decisão depois da revisão de “milhões de páginas de documentos internos produzidos pela Takata” relacionados com problemas em seus produtos.





Os detalhes do banheiro público mais luxuoso do Brasil

De Daniela Barbosa



A cidade de São Paulo ganhou na última quarta-feira o banheiro público mais luxuoso do país. O local escolhido para a instalação do lavabo não poderia ter sido outro que a famosa rua Oscar Freire, no Jardins.

O banheiro, dividido entre masculino e feminino, foi assinado pela designer de joias Jade Jagger e se você está achando o sobrenome familiar, saiba que ela é filha do cantor Mick Jagger.

O projeto foi financiado pelo papel higiênico Neve, da Kimberly-Clark. O banheiro funcionará de segunda a sábado, das 9h às 19h e, aos domingos, das 10h às 20h, e seu uso é gratuito.


Fonte: Brasil Post

Moro condena executivo da Mendes Júnior a 19 anos de prisão

Estadão Conteúdo



O juiz federal Sérgio Moro, que conduz as ações da Operação Lava Jato, condenou a 19 anos e 4 meses de prisão o executivo Sérgio Cunha Mendes, ex-vice-presidente da empreiteira Mendes Junior, por corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Outros dois dirigentes da cúpula da empreiteira também foram condenados.

Rogério Cunha Pereira, ex-diretor de Óleo e Gás da empresa, foi condenado pelos mesmos crimes a 17 anos e quatro meses de reclusão. A Alberto Elísio Vilaça Gomes, antecessor de Rogério Cunha Pereira no cargo de diretor de Óleo e Gás da Mendes Júnior, foi imposta pena de 10 anos de prisão.

"A prática do crime corrupção envolveu o pagamento de R$ 31.472.238,00 à Diretoria de Abastecimento da Petrobras, um valor muito expressivo. Um único crime de corrupção envolveu pagamento de cerca de R$ 9 milhões em propinas", sentenciou Sérgio Moro.

Foram absolvidos os executivos ligados à Mendes Junior, Ângelo Alves Mendes - ex-diretor-vice-presidente - e José Humberto Cruvinel Resende. "Entendo que há uma dúvida razoável se agiram com dolo, especificamente se tinham consciência de que os contratos em questão foram utilizados para repasse da propina", afirmou Moro.

O doleiro Alberto Youssef foi condenado a 20 anos e quatro meses de reclusão, mas como fez delação premiada na Procuradoria-Geral da República, a pena a ele imposta foi suspensa por Moro.

O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa pegou 10 anos de reclusão. Ele também fez acordo de delação.

Segundo denúncia do Ministério Público Federal, a Mendes Júnior fez parte do 'clube vip' de empreiteiras que, em cartel, 'teriam sistematicamente frustrado as licitações' da Petrobras para a contratação de grandes obras a partir do ano de 2006, entre elas na Refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco, no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) e Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná.

Moro fixou em R$ 31.472.238,00 o valor mínimo necessário para indenização dos danos decorrentes dos crimes, a serem pagos à Petrobras, 'o que corresponde ao montante pago em propina à Diretoria de Abastecimento e que, incluído como custo das obras no contrato, foi suportado pela Petrobras’.

O criminalista Marcelo Leonardo, que defende a cúpula da empreiteira Mendes Júnior, disse que ainda não teve acesso à sentença, mas adiantou que 'haverá recurso para o Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF4)’.

Marcelo Leonardo destacou que os argumentos do recurso serão os mesmos apresentados nas alegações finais do processo criminal perante a 13.ª Vara Criminal Federal no Paraná, base da Operação Lava Jato.

Segundo o criminalista, os executivos da Mendes Júnior foram extorquidos pelo doleiro Alberto Youssef que teria exigido R$ 8 milhões da empresa.

O empresário Sérgio Cunha Mendes afirmou à Justiça que os pagamentos foram parcelados por meio de contratos frios firmados com as empresas de fachada GFD Investimentos e Empreiteira Rigidez, controladas pelo doleiro.

"Era um valor que ele (Youssef) colocou, R$ 8 milhões e alguma coisa, e foi pago relativo aos aditivos a serem aprovados, da Replan e do TABR", declarou o empresário, quando interrogado pelo juiz federal Sérgio Moro.


Fonte: Brasil Post

José Maria Marin, ex-presidente da CBF, embarca para prisão domiciliar nos EUA nesta terça

De Rafael Nardini


José Maria Marin, o ex-presidente da CBF preso em Zurique meses atrás por envolvimento em esquemas de corrupção, será extraditado aos EUA nesta terça-feira. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Ele deve ficar em seu apartamento na Trump Tower, da Quinta Avenida, em Nova York. Para conseguir o direito à prisão domiciliar, o brasileiro precisou fechar um acordo com a Justiça americana.

O repórter Jamil Chade afirma que o ex-mandatário da CBF aceitou colaborar com a Justiça americana, mas que continuará afirmando ser inocente. A reportagem afirma que parte do interesse americano no cartola está em obter informações sobre o envolvimento dos também brasileiros Kleber Leite, Marco Polo Del Nero e Ricardo Teixeira em esquemas ilegais.

O dirigente brasileiro colocou parte significativa de seus bens nas mãos da Justiça, incluindo relógios de luxo, propriedades, carros e até o anel de noivado de sua esposa.

De acordo com o jornal, a viagem de Marin deve ocorrer pela manhã, desembarcando em Nova York ainda nesta terça.




Fonte: Brasil Post

Deputados reeleitos estão menos fiéis ao Planalto

Estadão Conteúdo


Dois de cada três dos 299 deputados reeleitos estão hoje menos governistas do que em 2011, no começo do primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff. Desse contingente de três centenas, 40 trocaram de lado: votam agora mais com a oposição do que com o governo. Os demais apenas ficaram menos fiéis ao Palácio do Planalto.

O afastamento dos deputados "veteranos" da órbita do governo é medido de acordo com seus padrões de votação, registrados pelo Basômetro, ferramenta online do Estadão Dados que mede o governismo de parlamentares, partidos e bancadas estaduais.

Em 2011, os então 299 deputados que hoje mantêm seus mandatos tinham uma taxa média de governismo de 78 pontos, em uma escala de zero a 100. Neste ano, até outubro, a média dos mesmos parlamentares caiu para 65 pontos.

No Basômetro, a taxa de governismo mede o alinhamento de cada parlamentar às orientações do líder do governo na Câmara nas votações. Se o deputado votar sempre da mesma forma que o líder do governo, sua taxa será 100. Se o fizer em metade das votações, a taxa será 50, e assim por diante.

'Vira-casacas'

Há um grupo de reeleitos que se caracteriza pela alta fidelidade a Dilma no primeiro mandato e pelo confronto no segundo. Na lista dos 30 maiores "vira-casacas" (veja quadro), a taxa de governismo média caiu de 94 pontos em 2011 para apenas 40 pontos neste ano.

O gaúcho Jerônimo Goergen, do PP, é o líder no ranking dos "vira-casacas": ele votou com o governo em 98% das vezes em 2011; hoje, essa taxa caiu para apenas 25%. "Ficou mais fácil fazer oposição", disse Goergen ao Estado, na sexta-feira. "Houve uma perda de qualidade muito grande no governo."

Nas eleições de 2010, Goergen votou em José Serra (PSDB) na disputa contra Dilma. No ano seguinte, foi um dos deputados mais fiéis ao governo da petista. "O ambiente era outro, eu estava em primeiro mandato na Câmara e basicamente apenas seguia a orientação da liderança do meu partido", afirmou.

Um dos deputados investigados pela Operação Lava Jato, Goergen nega relação entre esse fato e seu afastamento do governo. "Meu nome apareceu nas investigações em março deste ano, mas já em 2014 o PP do Rio Grande do Sul decidiu romper com Dilma", afirmou.

Outro expoente no ranking é Paulo Pereira da Silva (SD-SP), conhecido como Paulinho da Força. Hoje ele é um dos articuladores da tentativa de abrir um processo de impeachment contra Dilma no Congresso. Em 2011, porém, ele se alinhou ao governo em nove de cada dez votações das quais participou.


Padrão

Há um claro padrão partidário na onda de distanciamento dos parlamentares em relação ao governo. No PP, Jerônimo Goergen não está sozinho: 26 dos 27 integrantes do partido que exerciam mandato também em 2011 estão hoje menos governistas. A exceção é Jair Bolsonaro (RJ), que já fazia oposição extrema no primeiro mandato de Dilma e manteve os mesmos padrões de votação.

No PMDB, partido do vice-presidente Michel Temer, o movimento é similar: dos 46 deputados reeleitos na legenda, 41 (89%) tiveram queda na taxa de governismo, dois mantiveram seus níveis e apenas três passaram a ser mais fiéis às orientações do Palácio do Planalto.

Houve afastamentos significativos também no PSB, no PTB e no PDT, partidos que já abandonaram formalmente a base de apoio a Dilma.

No PSB, que se afastou da petista ainda no final do primeiro mandato, 16 dos 18 deputados reeleitos estão menos governistas. No PDT, 15 dos 16 "veteranos" seguiram a mesma tendência. No PTB, foram 16 de 18.

Levando-se em conta toda a Câmara, e não apenas os deputados reeleitos, 16 partidos estão atualmente menos governistas do que no começo do primeiro mandato de Dilma.

Todos os 21 deputados reeleitos que são investigados pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal, são hoje menos governistas do que em 2011, no primeiro ano do primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff. Do grupo de parlamentares investigados, 19 integram o PP, um o PT e um o PMDB. Apesar de serem menos fiéis, a maioria (15) continua votando mais com o governo do que com a oposição.


Fonte: Brasil Post

Pelo fim das meias verdades no conflito Israel Palestina

Anita Efraim 



O jornalismo não é mais o mesmo. O que dá cliques, vende revistas não são os mesmos temas e os textos não são mais tão densos e longos como costumavam ser.

O público quer mais fofoca, quer saber o que acontece com o seu jogador de futebol favorito ou com aquela musa fitness.

Não é uma questão de certo ou errado; simplesmente é assim.

Claro que ainda há quem leia artigos maiores que explicam background e contexto histórico, mas quantos são? Provavelmente quem se preocupou em entrar aqui para ler este texto faz parte da exceção.

O problema é que são muitos os que não querem se informar de forma profunda sobre um assunto, mas insistem em falar nele mesmo assim, com a crença de que tem propriedade para falar. No conflito entre Israel e Palestina isso acontece dos dois lados.

Dos dois lados há pessoas falando o que não sabem. Não é que elas tenham que saber tudo, mas se não dominam o assunto, para que falar?

Muitos judeus e pró-Israel só sabem criticar o outro lado, a Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, a falta de iniciativas de paz, sem conhecimento sobre o assunto.

Falar do outro é fácil, mas e tentar olhar para o próprio umbigo?

E falar sobre o descumprimento de acordos de paz com os quais Israel se comprometeu? Sobre os assentamentos que só crescem e não têm data para pararem de ser construídos?

Falta autocrítica. Falta querer procurar a raiz do problema para achar uma solução viável.

É óbvio que quem apoia a existência de Israel tem todo o direito de criticar instituições terroristas, como o Hamas, que pregam a destruição do Estado Judeu e DEVEM apontar momentos em que a mídia não fala a verdade sobre o que está acontecendo no conflito agora, como as facadas pouquíssimo noticiadas pelos veículos brasileiros.

Mas é preciso abrir os olhos, a mente e o coração para ver o problema de outra forma. Se não há paz e há conflito, é porque os dois lados estão errando.

Quem apoia a Palestina de forma incondicional também não vê a figura como um todo, e é preciso parar de usar a máxima de Maquiavel de que "os fins justificam os meios".

O povo palestino tem direito a um Estado, a um lar nacional, a um espaço que não seja ocupado por outro governo, mas isso não justifica esfaquear NINGUÉM, sejam civis ou militares.

Esses ataques com armas brancas têm acontecido com frequência em Israel, mas especialmente em Jerusalém e na Cisjordânia, no último mês.

Civis palestinos sem ligação com instituições terroristas atacam judeus israelenses motivados pela ocupação em seus territórios e pela suposta mudança da autoridade sobre a esplanada das mesquitas (negada pelo primeiro ministro israelense Benjamin Netanyahu).

Mas qual o sentido disso? A maioria dos vídeos que falam sobre o tema e rodam a internet são de palestinos feridos, o que é errado, mas as meias verdades dominam as redes sociais e os veículos jornalísticos brasileiros.

É raro ler sobre a justificativa para a pessoa do vídeo ter levado um tiro do exército israelense: ter tentado esfaquear judeus israelenses.

É preciso ter propriedade para falar.

Ainda há jornalismo de qualidade sobre o assunto, há referência em jornalismo internacional que explicam detalhadamente a situação.

Basta querer ir atrás de um panorama amplo da situação, em vez de querer ler só o que já condiz com sua opinião.

Se as pessoas abandonassem um pouco essa posição defensiva e arrogante e aceitassem entender sobre o outro lado, talvez a guerra diminuísse, ao invés de aumentar um pouco mais a cada dia.

Os duelos argumentativos nas redes são como naquele pequeno espaço de terra no Oriente Médio: as pessoas usam todas as suas armas para mostrar que seu lado está certo, e o diálogo, maior caminho para a paz, fica cada vez mais distante.


Fonte: Brasil Post

Brasil cria uma medida protecionista a cada 17 dias, diz OMC

Estadão Conteúdo



O Brasil adotou uma medida protecionista a cada 17 dias em média, desde a eclosão da crise econômica mundial, que completa sete anos. Um informe publicado pela Organização Mundial do Comércio (OMC) indicou que, desde 2008, o governo brasileiro implementou 148 novas barreiras comerciais, um dos números mais elevados entre todos os governos do G-20.

Entre maio e outubro de 2015, o Brasil voltou a estar entre as economias que mais aplicaram barreiras comerciais. Neste período, Índia e Indonésia implementaram dez barreiras, contra nove do Brasil e dos EUA. No caso brasileiro, foram adotadas 11 medidas liberalizantes neste mesmo período.

Desde a eclosão da crise econômica de 2008, um total de 1,4 mil barreiras foram criadas pelos países do G-20. Dessas, apenas 354 foram retiradas. "Apesar das promessas do G-20 de retirar as medidas protecionistas, mais de 75% daquelas implementadas desde 2008 continuam em vigor", disse a OMC.

O que também deixa a OMC preocupada é que, enquanto 17 novas medidas foram adotadas por mês neste sentido, apenas 12 medidas de facilitação ao comércio foram implementadas, o número mais baixo desde 2013.

Parte do motivo poderia ser a desaceleração na economia mundial e que obrigou a OMC a reduzir sua previsão de crescimento do comércio para 2015 de 3,3% para apenas 2,8%.

"A desaceleração do comércio mundial que foi observada no último informe continuou no segundo trimestre", disse a OMC. "O crescimento econômico global foi modesto."

Entre os fatores que pesaram estão os tombos nas economias do Brasil e da Rússia. "Preços de commodities caíram de forma acentuada desde o ano passado, estrangulando exportadores como o Brasil e a Rússia", constatou a OMC.

No segundo trimestre, esses exportadores registram quedas significativas da renda com suas vendas. A redução no caso brasileiro foi de 7,2%, ante 7,8% na Rússia. Exportadores de recursos naturais também viram a queda na entrada de dólares afetar o valor de suas moedas. Na Rússia, o rublo caiu 37% em um ano. O real caiu 28%.

Apelo

Desde 2008, a OMC estima que 5,9% do comércio global foi atingido por barreiras, num total de US$ 851 bilhões. Diante desses valores, a entidade apela para que os líderes do G-20 se comprometam a "dar exemplo" e "eliminar restrições ao comércio".

Para a OMC, as "incertezas sobre a economia global continuam a ter um impacto sobre o comércio internacional" e os países do G-20 estão diante de "importantes desafios".

Para a entidade, governos devem evitar implementar novas medidas restritivas e começar a retirar as barreiras já criadas, processo que tem "fracassado".


Fonte: Brasil Post

Kremlin descarta relação entre operação na Síria e acidente de avião no Egito

Da Agência Sputnik Brasil

O porta-voz do governo russo, Dmitry Peskov, pediu que não sejam feitas especulações ligando o acidente do avião russo A321, na Península do Sinai, com a operação aérea russa na Síria.

Em entrevista coletiva hoje (3), Peskov disse que são "temas absolutamente distintos e não é necessário vinculá-los".

O porta-voz presidencial, no entanto, afirmou que não podia responder à pergunta se a queda do avião poderia ter sido resultado de um atentado.

Sobre o encontro, nessa segunda-feira (2), entre o presidente Vladimir Putin e o ministro dos Transportes, Maksim Sokolov, ele informou que a reunião foi, na verdade, inteiramente dedicada ao trabalho da comissão estatal [de investigação do acidente], coordenada pelo ministro".

A versão de um eventual atentado terrorista contra o avião da empresa Kogalymavia, que levava 217 turistas russos e sete membros da tripulação a São Petersburgo, surgiu no sábado, dia da queda. Um grupo terrorista ligado ao Estado Islâmico reivindicou a autoria do acidente, apresentando como prova um vídeo que, depois, foi considerado falso.

O acidente não teve sobreviventes. O domingo, 1º de novembro, foi declarado dia de luto na Rússia. Na cidade de São Petersburgo, o luto vai até hoje.


Jornalistas são detidos no Zimbábue por denunciar caça de elefantes

Da Agência Lusa


Três jornalistas do Zimbábue foram detidos por terem noticiado que policiais e responsáveis de parques nacionais teriam envenenado pelo menos 60 elefantes, para posterior tráfico de marfim, revelou hoje (3) uma organização de defesa da imprensa.

“Confirmamos a detenção de três jornalistas, situação que condenamos”, declarou à agência France Presse (AFP) Loughty Dube, diretor da organização não governamental Voluntary Media Council, do Zimbábue. "[Isso] é desumano numa democracia e uma violação da Constituição [do país, que] garante a liberdade de expressão”, completou.

O chefe de redação do Sunday Mail, Mabasa Sasa, o responsável do jornal pelos inquéritos, Brian Chitemba, e o repórter Tinashe Farawo foram levados para a esquadra central de Harare, segundo Loughty Dube. Questionada pela AFP, a polícia não quis comentar, indicando que divulgaria um comunicado ainda hoje.

Os três jornalistas são acusados de terem publicado informações falsas no Sunday Mail de domingo, informou hoje o diário governamental Herald.

O Sunday Mail afirmou que um oficial da polícia e vários dos seus homens estavam sendo investigados, assim como responsáveis dos parques nacionais e um empresário asiático, por suspeita de envenenamento de pelo menos 60 elefantes, em vários incidentes separados.

O envenenamento de pontos de água é uma forma usada para matar os elefantes, para depois lhes retirar as presas, vendidas sobretudo no mercado chinês para fabricar objetos em marfim.

No continente africano, cerca de 30 mil elefantes são mortos anualmente.

Os últimos dados da associação Elefantes sem Fronteiras indicam existirem 470 mil elefantes em liberdade.


Human Rights Watch acusa rebeldes sírios de usar civis como “escudos humanos”

Da Agência Lusa

A organização não governamental (ONG) Human Rights Watch acusou hoje (3) grupos rebeldes sírios de crimes de guerra por terem colocado reféns, incluindo civis, em jaulas, para serem  usados como “escudos humanos” diante dos ataques das forças governamentais, nos arredores de Damasco. Com sede em Nova York, a ONG defende e faz pesquisas sobre os direitos humanos no mundo.

Em vídeo divulgado no fim de semana podem ser vistos dezenas de reféns, entre soldados e civis, em jaulas transportadas para diferentes áreas da região de Ghouta Oriental, perto de Damasco.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH) garante que o grupo Jaish Al Islam colocou os reféns em praças púbicas para impedir bombardeios das forças governamentais.

A Human Rights Watch diz que a prática de tomada de reféns e a afronta à sua dignidade pessoal são consideradas crimes de guerra.

“Nada justifica enjaular pessoas e, intencionalmente, colocá-las em perigo, mesmo que o objetivo seja parar os ataques indiscriminados do governo”, disse Nadim Houry, vice-diretora da organização para o Oriente Médio.

Ghouta Oriental é um reduto dos rebeldes, sendo frequentemente alvo de intensos bombardeios.

Pelo menos 70 pessoas morreram e 550 ficaram feridas em ataques das forças governamentais em Douma (em Ghouta Oriental), na semana passada, de acordo com a organização Médicos Sem Fronteiras.

Mais de 250 mil pessoas morreram na Síria desde o início do conflito, em março de 2011.


Tradução Bahia

Rádio Cabriola: Segunda à sexta, 12h (ou 13h no horário de verão)


Pauta do dia 03.11.2015

- Viva Maria: Conheça os benefícios da comida de verdade;
- História Hoje: Há 80 anos, nascia o sociólogo e militante Betinho;
-Trocando em Miúdo: Cadastro de doméstica pode ser feito até sexta-feira;
- Avião que caiu no mar em Salvador estava apto para voo.;

Ouça ssas e outras notícias

Apresentação: Heraldo Souza

Para ouvir no site: www.radiocabriola.com
Para ouvir no celular, baixe o nosso aplicativo: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.maxcast.radiocabriola&hl=pt_BR

Migrações: ONU alerta que nasce uma criança apátrida a cada dez minutos

Da Agência Lusa Edição: Graça Adjuto

A Organização das Nações Unidas (ONU) alertou hoje (3) para o problema das crianças apátridas (sem nacionalidade), informando que nasce um bebê a cada dez minutos nessa situação e que o problema ganha novas dimensões com o conflito na Síria e a crise migratória europeia.

Em relatório publicado nessa terça-feira, a Agência das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) lembra que 10 milhões de pessoas no mundo são consideradas apátridas, ou seja, não têm nacionalidade, e afirma que essa condição tem efeitos muito nocivos nas crianças, provocando sentimentos de discriminação, frustração e desesperança que podem prolongar-se até a idade adulta.

O relatório é o maior estudo da Acnur sobre a questão dos menores apátridas e conta com 250 testemunhos de crianças, jovens, pais e tutores de diversos países.

Os menores contam que são tratados como estrangeiros nos países em que vivem. Muitos deles descrevem-se como "invisíveis", "extraterrestres", "a viver na sombra", "cães de rua" ou "sem valor". É frequente ainda terem direitos negados, como a obtenção de diplomas acadêmicos ou o acesso a diversos postos de trabalho.

A divulgação da pesquisa coincide com o primeiro aniversário de lançamento da campanha "#IBelong# pela Acnur, que tem como objetivo combater a condição de apátrida.

A Acnur pede a todos os países que se juntem a essa campanha, considerando que o problema é "relativamente fácil de solucionar e prevenir".

A agência propõe que a criança receba a nacionalidade do país em que nasce caso não possa ter a dos seus pais. Por outro lado, pede que em todos os países as mulheres possam passar a sua nacionalidade aos filhos. A Acnur pede ainda que sejam abolidas as leis e práticas que negam à criança pertencer a um país por causa da raça, etnia ou religião.

Para o alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados, António Guterres, não ter nacionalidade na infância pode originar problemas que acompanharão essas pessoas durante anos e as condenarão a uma vida de discriminação.

"Nenhuma criança deveria ser apátrida. Todas deveriam pertencer a um lugar", disse Guterres, citado em comunicado da Acnur.


Em Nova Yorque, Abílio Diniz diz a investidores que crise política deixou Brasil 'em liquidação'

Estadão Conteúdo


O empresário e presidente do conselho da BRF, Abílio Diniz, afirmou nesta segunda-feira que não há uma crise econômica no Brasil, mas sim uma crise política, que tem afetado a confiança de investidores, empresários e consumidores.

"No momento em que superarmos a questão política, a solução para a situação econômica virá muito rapidamente", disse em entrevista a jornalistas antes de participar do BRF Day em Nova York. A empresa de alimentos comemora 15 anos de listagem de seus papéis na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE).

"Ninguém está investindo, porque está faltando confiança. Não sei o que vai acontecer no curto prazo, mas tenho certeza que a situação vai ser superada. Tenho total confiança", afirmou o empresário, destacando que por conta da atual situação, o "Brasil está em liquidação".

"O País está muito barato para investidores estrangeiros. Para investidores internacionais, é o momento de se aproveitar disso. Estamos em um momento ruim, mas é um momento."

Abílio afirmou que vê o dólar no Brasil negociado ao redor de R$ 4 como "exagerado" e que os fundamentos atuais da economia brasileira não justificam a moeda americana nesse patamar. Para o empresário, o mais justo seria a divisa ser negociada ao redor de R$ 3,50.

"Todo mundo diz que o Brasil está em crise. Eu amo a crise, em toda a minha vida eu cresci em crises. Não há crise econômica no Brasil", ressaltou o empresário. Abílio contou que passou por vários momentos complicados da economia brasileira em sua vida e citou como exemplo a crise da dívida nos anos 90, quando estava no Conselho Monetário Nacional (CMN) e participou das negociações em Nova York. "Agora, o País tem US$ 370 bilhões de reservas em dinheiro. É completamente diferente", disse ele.

Fonte: Brasil Post

EUA dizem não ter evidência de ato terrorista em queda de avião russo

Da Agência Lusa

O diretor nacional de Inteligência dos Estados Unidos, James Clapper, disse hoje (2) que, até o momento, não tem conhecimento de qualquer “prova direta” de terrorismo na queda do Airbus A321 russo, que caiu no sábado (31) no Egito.

Queda de avião russo na Península do Sinai, no EgitoSTR/Agência Lusa
“Ainda não há qualquer prova direta de um envolvimento terrorista”, disse Clapper em uma conferência sobre segurança e defesa em Washington.

Clapper, que supervisiona a atividade das 16 agências de informação dos Estados Unidos, considerou “improvável” que o grupo extremista Estado Islâmico tenha capacidade para atingir um avião na altitude em que se encontrava o Airbus, mas acrescentou que “não descartaria” essa hipótese.

A companhia aérea do Airbus A321, que caiu no sábado na Península do Sinai, MetroJet (Kogalymavia), divulgou que o acidente foi em consequência de fatores externos e que nenhuma falha técnica poderia fazer com que um avião se partisse ao meio em pleno voo.

Tanto o Egito como a Rússia minimizaram o comunicado de um grupo egípcio ligado ao Estado Islâmico, que afirmou ter derrubado o avião.

A aeronave, que saiu da estância turística egípcia de Sharm el-Sheikh com destino a cidade russa de São Petersburgo, transportava 224 pessoas. Todos os passageiros e tripulantes morreram.


Ácaros entre nós

Por: Rob Dunn
 
Eles se refugiam em nossas camas, se reproduzem no nosso rosto e são menores que o ponto final desta frase.
Muitos anos atrás fiz uma aposta sobre a presença, no rosto das pessoas, de ácaros – minúsculos animais que vivem nos folículos dos pelos. Tão diminutos são eles que uma dúzia conseguiria bailar sobre a cabeça de um alfinete. Bem mais provável, contudo, é que estejam dançando no seu rosto, tal como costumam fazer à noite quando se acasalam, antes de se arrastarem de volta aos folículos pilosos, onde passam o dia comendo. Também aí, nessas cavernas orgânicas, as fêmeas põem seus ovos. Após a eclosão, os bebês passam por várias mudas, durante as quais vão trocando o esqueleto externo e emergindo cada vez maiores. Assim que alcançam o tamanho máximo, dão início a uma existência adulta, que dura apenas algumas semanas. O fim chega no momento preciso em que os ácaros, que não dispõem de ânus, ficam repletos de excrementos, morrem e se decompõem em nossa cabeça.

Hoje conhecemos duas espécies de ácaro que vivem no rosto, e pelo menos uma parece estar presente em todos os seres humanos adultos. A aposta a que me referi era a de que, mesmo em uma amostragem restrita de adultos, seriam achadas outras espécies de ácaro, algumas completamente desconhecidas pela ciência.

Os biólogos estão sempre fazendo previsões desse tipo, mas a minha aposta específica estava baseada no modo como entendo as propensões da evolução e dos seres humanos. A evolução tende a engendrar maior diversidade em pequena escala. Os seres humanos, por outro lado, têm a tendêndia de ignorar o que existe em formato diminuto. Os ácaros aquáticos, por exemplo, pululam na maioria dos lagos, lagoas e poças, muitas vezes com densidades de centenas ou milhares de indivíduos por metro cúbico. Podem estar presentes mesmo na água potável. No entanto, raros são aqueles que ouviram falar deles – incluindo, até pouco tempo atrás, eu mesmo. E olha que a minha profissão é justamente o estudo dessas criaturas minúsculas.

Alguns dos verdadeiros monstros do mundo acarino vivem no solo, em que é possível topar com ácaros predatórios e armados de um arsenal de instrumentos bucais. Alguns têm mandíbulas dotadas de presas afiadas como as dos tubarões; outros contam com lâminas lisas, que se encaixam umas nas outras com força tremenda; e ainda outros conseguem perfurar as vítimas graças a sabres aguçados e letais. Essas criaturas brutais se esgueiram pelos túneis abertos por vermes e por minúsculos orifícios entre os grãos de areia.

Há os ácaros que vivem na copa das árvores, nas folhas e na terra, assim como nas partes côncavas de epífitas, como bromélias e orquídeas. Até mesmo a comida contém ácaros. O sabor típico do queijo mimolette resulta da escavação de túneis, alimentação, excreção e reprodução de ácaros. Na verdade, não há exagero em afirmar que os ácaros estão sempre transformando o mundo. Podem tornar mais lenta ou mais rápida a recomposição de um solo, acelerar ou reduzir a decomposição de matéria orgânica, e afetar a saúde das plantações. A influência deles não tem a menor relação com o tamanho minúsculo.

Ainda não sabemos muito bem quantas espécies de ácaro existem no mundo – ao menos 1 milhão. Os museus estão repletos de coleções de espécies de ácaro que ninguém ainda estudou. Algumas delas têm fascinantes histórias evolutivas para nos contar. Outras se alimentam de insetos herbívoros e poderiam beneficiar a agricultura ou a medicina. E ainda outras podem ser vetores de patógenos letais.


EOBRACHYCHTHONIUS SP., AMPLIADO 996 VEZES - Os ácaros são adaptáveis a diferentes nichos na natureza. Um exemplo: contas coloridas de uma cera que repele a água permitem que o ácaro de musgo permaneça seco no ambiente úmido - Foto: Martin Oeggerli/Escola De Ciências Biológicas Fhnw, Suíça

Mais um motivo para a minha aposta: ácaros são organismos especialistas que ocupam todo e qualquer nicho imaginável, incluindo a traqueia das abelhas, o eixo das penas das aves, o ânus das tartarugas, as glândulas odoríferas dos insetos, o pulmão das serpentes, o tecido adiposo dos pombos, o globo ocular dos morcegos frugívoros. Para sobreviver nesses hábitats, precisam estar dotados de características singulares – nos pelos, secreções, patas, estruturas bucais e comportamentos. E contar com um esquema eficaz para se deslocar de um hábitat favorável a outro.

Alguns ácaros vão de uma flor a outra no bico dos beija-flores. Outras pegam carona no dorso de besouros ou formigas. Há ainda aqueles que flutuam em bolas de seda que eles mesmos secretam e nas quais se lançam nas correntes de ar.

Tudo isso significa que, se pudermos imaginar um hábitat, por mais restrito que seja, lá encontraremos ácaros, mesmo quando o acesso a esse lugar é complicado para animais minúsculos dotados de pernas e com um décimo da espessura de um fio de cabelo humano.

Mas nada se compara às idiossincrasias dos métodos de reprodução dos ácaros. Alguns clonam a si mesmos. Outros devoram a mãe. Há os que se acasalam com as irmãs ainda no interior da mãe e, durante o nascimento, acabam com ela. As narinas dos beija-flores e as orelhas das mariposas são palcos de tragédias gregas encenadas por essas criaturas ínfimas e exóticas.

Os hábitats mais vantajosos são os corpos alheios: mamíferos, aves, insetos ou qualquer outro animal maior que o ácaro. Os corpos proporcionam a eles tudo de que mais necessitam: alimento e transporte. A maioria das espécies de ave hospeda mais de um ácaro especializado e que não se encontra em nenhum outro local. Uma única espécie de periquito conta 25 espécies distintas de ácaro vivendo em seu corpo e suas penas, cada qual em um micro-hábitat diferente.

Em função dessa enorme diversidade e especialização, é fácil saber que uma sala repleta de gente (pense em todos esses hábitats!) seria um local favorável para a descoberta de ácaros – e, portanto, para comprovar a minha hipótese. Por muito tempo esse foi só um modo de iniciar uma conversa em festas desanimadas. Recentemente, contudo, alguns colaboradores e eu juntamos um grupo de pessoas, e pedimos a elas amostras de suas peles. Depois da coleta e de exames de DNA, comprovamos a presença de ácaros em todos os adultos que participaram do experimento, incluindo uma espécie desconhecida pelos cientistas e que parece prosperar sobretudo em pessoas de ascendência asiática. Imagine você: um ácaro que vive em milhões de seres humanos, talvez até em bilhões, e que mesmo assim era desconhecido até então. Fiquei arrepiado.

Como os taxonomistas – os cientistas que classificam e nomeiam as novas espécies – lidam com essa profusão de ácaros? A maioria pouco se importa. Imaginavam que a minha aposta na diversidade acariana era algo bem previsível, um dos fatos corriqueiros que comprovam toda vez que examinam uma amostra de solo ou quando colhem um pouco de tecido de um amigo. Na realidade, basta a gente se limitar aos ácaros mostrados nesta reportagem, a maior parte pertencente a espécies que ainda não foram batizadas. E, muito provavelmente, é assim que vão permanecer por muito tempo, enigmas à vista de todos, como, aliás, grande parte dos seres vivos.


Fonte: NATIONAL GEOGRAPHIC BRASIL

Manifestação contra Cunha em Belo Horizonte acaba com repressão policial e apreensão de dois manifestantes (VÍDEOS)

Do Brasil Post


Polícia machista, fora já!
A polícia está batendo em mulher!

Esses foram brados de manifestantes em ato contra o presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em Belo Horizonte.

A marcha teve confusão entre policiais militares e manifestantes na Avenida Afonso Pena, no centro da capital mineira.

A PM admitiu ter usado força para "dominar" uma jovem que reagiu a prisão, segundo o site do Estado de Minas. Ela estaria tentando defender o namorado, que havia sido capturado, e também foi levada para a delegacia.

O vídeo mostra a indignação de quem assistiu à forma como ela foi detida pelos policiais:


A Polícia Militar informou que o manifestante apreendido estava batendo na lataria de um ônibus e desacatou a tropa. Os dois eram menores, segundo o jornal O Tempo, e por isso foram transferidos para o Juizado Especial Criminal.

Outro vídeo mostra PMs empurrando mulheres, na tentativa de conter os manifestantes. Um policial chega a apontar arma para quem protesta.



O tumulto começou porque manifestantes teriam ficado irritados com a tentativa da polícia de liberar faixas da Afonso Pena para o trânsito.

Mais de 200 participaram do protesto, informa o G1.

Protesto contra Cunha

As manifestantes repudiam o projeto de lei 5069/2013, apelidado de "PL do Aborto", já aprovado pela Comissão de Constituição de Justiça da Câmara.

Segundo a proposta, a mulher só pode receber atendimento médico, após denúncia de estupro, se se submeter a exame de corpo de delito para comprovar a violência sexual.

O texto também dificulta acesso das mulheres à pílula do dia seguinte.


Fonte: Brasil Post

Atriz Taís Araújo é vítima de racismo e recebe apoio pelas redes sociais

Mariana Tokarnia - Repórter da Agência Brasil Edição: Fábio Massalli

Na tarde de hoje (1º) comentários em apoio à atriz Taís Araújo, vítima de racismo no Facebook, ganharam destaque nas redes sociais. A hashtag #somosTodosTaisAraujo ficou entre os trend topics, assuntos mais tuitados em um determinado momento, no Brasil. A atriz agradeceu os internautas nesta noite em seu perfil no Facebook.

Os ataques racistas aconteceram na noite de sábado. Hoje a atriz divulgou um texto no qual diz que não irá apagar os comentários, tudo será registrado e enviado à polícia. No Facebook, diz que denunciou, junto com outros usuários da rede, os perfis dos agressores.

“Faço questão que todos sintam o mesmo que senti: a vergonha de ainda ter gente covarde e pequena nesse país, além do sentimento de pena dessa gente tão pobre de espírito. Não vou me intimidar, tampouco abaixar a cabeça. Sigo o que sei fazer de melhor: trabalhar. Se a minha imagem ou a imagem da minha família te incomoda, o problema é exclusivamente seu!”, escreveu a atriz no texto, dirigindo-se aos autores das postagens racistas.

Taís Araújo acrescentou que, por coincidência, no momento das postagens racistas foram feitas, ela estava encenando “O Topo da Montanha”, um texto sobre Martin Luther King  que trata de afeto, tolerância e igualdade. “Quero que esse episódio sirva de exemplo: sempre que você encontrar qualquer forma de discriminação, denuncie. Não se cale, mostre que você não tem vergonha de ser o que é e continue incomodando os covardes. Só assim vamos construir um Brasil mais civilizado”.

Ao longo do dia, Taís Araújo recebeu mais de 40 mil comentários de apoio. Muitos internautas trocaram as fotos do perfil por fotos da atriz.

O racismo é crime no Brasil e, por lei, quem praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional pode ser condenado a reclusão de um a três anos e além de pagar multa.

Denúncias de racismo podem ser feitas pelo 156, opção 7, ou em telefones específicos definidos em cada localidade. No Rio de Janeiro, a delegacia responsável é a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática.


Pelo menos 12 mortos em atentado contra hotel na capital da Somália

Da Agência Lusa Edição: Carolina Pimentel

 Pelo menos 12 pessoas morreram em um atentado hoje (1°) contra um hotel na capital da Somália. De acordo com a polícia local, o ataque é de autoria dos rebeldes shebab.

“Temos a informação de que causou 12 mortes”, disse Abdulrahid Dahir, da polícia, indicando que “os atacantes explodiram um carro-bomba para abrir passagem e poder entrar no hotel”.

Atentado contra hotel na Somália (Said Yusuf Warsame/EPA/Agência Lusa/Direitos Reservados)

Informações anteriores, divulgadas pelo canal de televisão Al-Jazeera – com base em testemunhas – e pela agência AFP, davam conta da ocorrência de duas explosões e de um tiroteio.

Os shebab, ligados à rede terrorista Al-Qaeda, reivindicaram a autoria do atentado contra o hotel Sahafi, popular entre membros do governo e empresários, indicando que lutam contra as forças de segurança.

“Os ‘mujahedeen’ [combatentes] tomaram o controle do hotel Sahafi onde apóstatas [quem abandonou sua religião] e cristãos invasores ficam”, disse o porta-voz dos shebab, Abdulaziz Abu Musab, em comunicado.

“Os ‘mujahedeen’ levam a cabo operações no interior do hotel depois da tomada”, acrescentou.

As tropas da União Africana, que combatem os rebeldes ao lado das forças governamentais, afirmaram, contudo, ter assumido o controle do edifício depois de derrotarem os insurgentes islamitas.

“As forças governamentais da Somália e a Amisom [missão da União Africana na Somália] tomaram o controle”, informou a União Africana, composta por 22 mil homens, em um breve comunicado, também citado pela agência AFP.

Os shebab perpetraram no passado uma série de atentados contra hotéis de Mogadíscio.

- Assuntos: atentado, Somália, Shebab

Show de fogos de artifício encerra primeiros Jogos Mundiais Indígenas

Marcelo Brandão - Enviado Especial da Agência Brasil Edição: Carolina Pimentel

Diversas etnias indígenas participam do encerramento dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, em Palmas. Marcelo Camargo/Agência Brasil

Um show pirotécnico encerrou os primeiros Jogos Mundiais dos Povos Indígenas (JMPI) na noite desse sábado (31), em Palmas. Fogos de artifício cobriram o céu da Arena Verde ao final da cerimônia de encerramento dos jogos, sob aplausos de milhares de indígenas e não indígenas nas areias e nas arquibancadas. Uma verdadeira maratona de jogos, debates, manifestações e muita celebração chegou ao final.

Foi uma semana intensa de descobertas e trocas culturais. Nações de várias partes do mundo se reuniram em Palmas e entraram para a história como integrantes dos primeiros jogos mundiais. Foram 1.695 indígenas do Brasil e de outros 22 países disputando provas e demonstrando seus esportes típicos.

Os palmenses, turistas e imprensa do mundo inteiro puderam ver, conversar e tirar fotos com pataxós, manokis, karajás, Kuikuros e vários outros índios do Brasil. Os estrangeiros também foram bem recebidos. Mexicanos, bolivianos, neozelandeses, canadenses, dentre outras nações, conquistaram e foram conquistadas pelo público presente. Ganhando ou perdendo, todos eram aplaudidos e celebrados.

A população de Palmas abraçou o evento. A vila dos jogos recebeu uma média de 13 mil pessoas por dia. Até sexta-feira (30), foram 104.856 mil visitas ao complexo, que abrange a Oca da Sabedoria, a Feira de Artesanato, a Feira de Agricultura, o Estádio Nilton Santos e a Arena Verde. Só na última semana, foram 51.492 visitas. Enquanto as últimas provas eram disputadas no início da noite de ontem, visitantes formavam filas enormes para entrar na Feira de Artesanato.

De acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a Feira de Artesanato movimentou, só até a última quarta-feira (28), mais de R$ 300 mil em vendas de produtos produzidos por indígenas de várias etnias. Um grande comércio também foi montado em frente à feira, por iniciativa de diversas etnias, entre elas, Karajá e Pataxó. No local, o movimento também era intenso.

“Do ponto de vista da organização, a gente tem que dizer que foi um sucesso. A gente esperava um público de 100 mil pessoas até o final do evento. Passamos desse número”, avaliou o diretor-geral dos JMPI, Luiz Lobo. Para ele, a maior herança do evento é o encontro de várias culturas. “Mais positivo é essa oportunidade que povos do mundo inteiro tiveram de se encontrar em um só lugar e discutir questões como demarcação de terra, água, sustentabilidade. Acho que esse é o legado maior”.

O articulador dos jogos, Marcos Terena, também comemorou o resultado do evento sobretudo na afirmação das diferentes culturas que existem no mundo. “Não só nós, como organizadores, mas todas as delegações indígenas perceberam a importância do evento com essa grandeza. Afirmamos nossa grandeza, nossa inteligência e nossos direitos de sermos diferentes”.

Terena também lembrou o viés político dos jogos, a visibilidade para as questões indígenas. “Nós mostramos que a medalha principal é o direito à vida. Se não tivermos demarcação das terras, não terá vida e essa riqueza plástica e cultural que nós temos não vai sobreviver no futuro”.

A próxima edição já tem ano e local para acontecer. Indígenas do mundo inteiro se reencontrarão no Canadá, em 2017. “Poderemos receber vocês com toda honra e alegria com que vocês nos receberam aqui. Já convido vocês para participarem dos segundos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas”, disse o líder da etnia Cree, do Canadá, Willy Littlechild.