Cine Teatro Solar Boa Vista promove 2ª edição da Semana da Mulher Negra


Para celebrar o Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha (25 de julho), o Cine Teatro Solar Boa Vista, um dos 17 espaços culturais da Secretaria de Cultura do Estado (Secult), realiza a 2ª Edição da Semana da Mulher Negra, deste domingo (19) ao próximo dia 25. Este ano, o cabelo crespo e cacheado será a temática principal do encontro, que terá uma série de ações voltadas para a mulher negra, como feiras, workshops, rodas de conversa, shows e exibições de documentários.

A Semana é uma das atividades do Julho+Solar, projeto desenvolvido com uma extensa programação neste mês, no espaço cultural que este ano celebra 31 anos de existência. A entrada é gratuita ou a preço popular. "Propor atividades que enalteçam e empoderem as mulheres negras é ir contra um discurso de machismo e racismo existente em nossa sociedade. É dar voz a quem precisa ser ouvido e potencializar reflexões, críticas e produção artística nesse sentido”, explica a coordenadora do Cine Teatro, Simone Braz.

No primeiro dia (domingo) de programação será realizado o Encontro de Crespas e Cacheadas, organizado pelos grupos Crespas e Cacheadas da Bahia, Cacheadas e Poderosas SSA e Crespas e Cacheadas SSA. A atividade promove palestras com dicas e cuidados para cabelos crespos e cacheados, workshops, demonstração de produtos e penteados.

No mesmo dia será exibido o documentário ‘Clementina de Jesus: Rainha Quelé’, dirigido por Werenton Kermes, que faz uma homenagem à cantora negra Clementina de Jesus, usando depoimentos e material de arquivo coletados ao longo de mais de dez anos para contar a sua histórica e voz única.

Em continuidade à programação no próximo dia 21(terça-feira), às 19h30, será exibido o documentário ‘25 de julho - Feminismo Negro Contado em Primeira Pessoa’, dirigido por Avelino Regicida. O filme aborda a importância do Dia da Mulher Afro-Latino-Americana, a partir de entrevistas feitas com mulheres negras em São Paulo. Após a exibição, haverá um bate-papo com a participação da coordenadora executiva do Instituto Odara - Instituto da Mulher Negra, Valdecir Nascimento, e com a representante do Coletivo Nacional de Juventude Enegrecer, Samira Soares.

Nos dias 22 e 23, será realizada a oficina de Mediação de Contos Étnicos com o GrupUsina de Teatro, ministrada pela atriz, diretora teatral, escritora e mediadora de leitura, Ana Paula Carneiro. De acordo com a facilitadora, o propósito é trazer para os jovens livros que retratam a mulher negra na literatura, buscando a valorização da identidade dos participantes. As oficinas são destinadas a estudantes de escolas públicas, com horários pela manhã e tarde, com entrada gratuita.

Encerrando a Semana, no dia 25, a partir das 19h, a cantora e musicista Emilie Lapa apresenta o show Ilá - Um canto ancestral, com a proposta de trazer para os palcos o grito das mulheres negras contra todos os tipos de preconceitos e a favor da identidade feminina. A cantora trará um repertório de canções autorais, além de releituras de músicas e poesias com influências afro-brasileiras. Neste dia, será cobrado ingresso no valor R$ 10 e R$ 5. Mais informações obre o evento podem ser pelo blog do espaço.

Espaços Culturais da Secult

A Secretaria de Cultura do Estado (Secult) mantém 17 espaços culturais geridos pela Diretoria de Espaços Culturais (DEC) e localizados em diversos Territórios de Identidade. Destes, cinco funcionam em Salvador - Cine Teatro Solar Boa Vista, Espaço Xisto Bahia, Casa da Música de Itapuã, Centro de Cultura de Plataforma e Espaço Cultural Alagados. Doze estão localizados municípios de Alagoinhas, Feira de Santana, Guanambi, Itabuna, Jequié, Juazeiro, Lauro de Freitas, Mutuípe, Porto Seguro, Santo Amaro,Valença e Vitória da Conquista.

Secom Bahia

Governo brasileiro continuará emissão de visto humanitário para haitianos


Reportagem – Thyago Marcel
Edição – Pierre Triboli

Audiência debateu situação dos imigrantes haitianos no Brasil
Audiência pública sobre os problemas na área de segurança pública, oriundos da entrada de haitianos e demais imigrantes pela fronteira do Acre, reunindo autoridades e lideranças que dominem o tema e possam oferecer a este Colegiado uma visão do atual cenário e a possibilidade de contribuir com ideias e sugestões pertinentes à área
Audiência debateu situação dos imigrantes haitianos no Brasil
O governo federal pretende continuar com a emissão de visto humanitário enquanto não houver garantias de respeito aos direitos humanos de quem sai do Haiti rumo ao Brasil.

A informação foi divulgada pelo secretário nacional de Justiça do Ministério da Justiça, Beto Vasconcelos, que participou nesta quinta-feira (16) de audiência pública promovida pelas comissões de Relações Exteriores e de Defesa Nacional; e de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.

O visto humanitário foi criado em 2012 e é expedido pela embaixada brasileira no Haiti, com o objetivo de evitar que os haitianos busquem rotas de imigração operadas por organizações criminosas.



“O nosso grande desafio, hoje, é transformar uma rota muito indesejada – de submissão de imigrantes a ‘coiotes’ e a organizações criminosas, e, portanto, submetendo-os a possíveis violações de direitos humanos – a uma rota que seja segura, que garanta tratamento humanitário, acolhimento e inserção social, laboral e cultural desses imigrantes ao Brasil”, afirmou Beto Vasconcelos.

Terremoto em 2010
Expositores concordaram que um dos principais fatores que motivaram a crescente onda de imigração Haiti-Brasil está relacionado aos últimos desastres naturais que assolaram a população haitiana, especialmente o terremoto de 2010, que matou cerca de 300 mil pessoas e deixou 1,5 milhão de desabrigados.

“Em 2010, um terremoto de grandes proporções atingiu o país e isso acentuou um processo migratório que já existia, tanto para a América do Norte como Europa, e se voltou para a América do Sul, em especial o Brasil”, disse Vasconcelos.

Rota da imigração
O ouvidor da Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos do Acre, Antônio Torres, explicou o passo a passo do fluxo migratório escolhido pelos haitianos.

“Muitos saem do Haiti, vão para a República Dominicana e, de lá, pegam um voo até a Guatemala – apenas como uma escala. Em seguida, vão para o Equador. De lá, atravessam para o Peru. Dentro do Peru, atravessam e chegam até Assis Brasil (AC), para em seguida pegar um ônibus ou táxi para Epitaciolândia (AC), onde tem o posto da Polícia Federal (PF) e é feito o pedido do visto”, informou Torres.

O abrigo para imigrante está na capital do Acre, Rio Branco. É lá que a maioria permanece enquanto a autorização do visto não é emitida pela PF. De posse do visto, os imigrantes seguem para os demais estados brasileiros, principalmente Rio Grande do Sul e São Paulo.

De acordo com Torres, o número crescente de imigrantes que chegam ao Acre é assustador. “Em 2010, chegaram 37. Em 2011, chegaram 1.175. Até aí, sustentável. Já no outro ano, 2.225. E o salto maior começa em 2013: 11.524 imigrantes. Em 2014, 16.206. Isso é número do ano, não é somando com os anteriores. E, em 2015, até junho de 2015, já chegaram mais de 9 mil”, afirmou.

Estatuto do Estrangeiro
Um dos autores do requerimento de audiência pública, deputado Rocha (PSDB-AC), lembrou que já tramita um projeto de lei (PLS 288/13), do Senado, que cria uma nova lei de migração e regula a entrada e estada de estrangeiros no Brasil.

Rocha lamentou que a desatualização da legislação brasileira frente à realidade do novo processo migratório no País dificulte avanços em políticas sociais. “É fato que a legislação está ultrapassada. O Estatuto do Estrangeiro precisa ser modificado. E aqui, fazer reconhecimento da luta da presidente desta comissão, deputada Jô Moraes (PCdoB-MG), na alteração dessa legislação, mais precisamente no PLS 288, de autoria do senador Aloysio Nunes Ferreira”, afirmou.

Quem emocionou os participantes da audiência pública com sua história foi a imigrante haitiana Nadine Talleis. “Eu sempre lembro que, quando meu pai foi assassinado em 1981, foi um momento muito triste na nossa história. Meu pai sempre falava para mim: Nadine, você sempre deve lutar; deve sempre acreditar. E isso me dá forças para lutar e hoje eu estou no Brasil, graças a Deus”, disse.

Nadine mora em Mauá (SP) e está no quarto semestre de direito. Ela sonha em prestar concurso para diplomata e se especializar em imigração.




Agência Câmara Notícias

Madame Scargot... A Vidente do Amor

ENTREVISTAS & DEBATES

Heraldo Souza Conversa com o ator diretor e autor do espetáculo "Madame Scargot... A vidente do Amor" que estreia nesta sexta-feira em Feira de Santana no Teatro Cuca.

A entrevista será exibida no dia 17.07.15, 16h e 19h (dentro do programa "Conversa Pra Boi Dormir").

www.radiocabriola.com



Bahia torna-se o segundo maior produtor de energia eólica do País


Foto: Manu Dias/GOVBA
Três anos após a entrada em funcionamento do seu primeiro parque eólico, em Brotas de Macaúbas, no sudoeste do estado, a Bahia já ocupa o segundo lugar nacional na geração da energia pela força dos ventos. De acordo com dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), com a produção de 463 megawatts, registrados em maio deste ano, a Bahia superou o Ceará e o Rio Grande do Sul, ficando atrás apenas do Rio Grande do Norte, estado pioneiro na geração de energia eólica no País.

Segundo os números da CCEE, o Rio Grande do Norte lidera, com a produção de 720 megawatts. Ceará e o Rio Grande do Sul ocupam o terceiro e quarto lugares, com 380 e 328 megawatts, respectivamente. Com o atual ritmo de crescimento, a previsão é que os ventos se tornem a maior fonte da matriz energética da Bahia em 2021.

A Bahia tem 168 projetos de energia eólica espalhados em 21 municípios. Do total, 37 parques já estão operando, 31 em construção e os demais em fase de projeto e licenciamento ambiental. Os investimentos no setor estão na ordem de R$ 16 bilhões. “É um resultado para se comemorar. Ultrapassamos o Ceará e o Rio Grande do Sul, que estão no setor há mais tempo e possuem parques com capacidade instalada maior que a nossa. A expectativa é de que a Bahia supere a marca de 1 GW [gigawatt] até meados do próximo ano”, afirma o secretário de Desenvolvimento Econômico, Jorge Hereda.

Crescimento

Hereda afirmou ainda que a Bahia já dispõe de um parque de componentes completo, fabricando de torres a aerogeradores. “Esses equipamentos são fabricados por empresas do porte da Alstom, Gamesa, Acciona, Torrebras e TEN. A Tecsis, fabricante de pás, entra em funcionamento no próximo ano, completando a cadeia de componentes eólicos”.

Em maio, as usinas eólicas brasileiras produziram 176% a mais de energia na comparação com o mesmo período de 2014. Este ano já foram gerados 2,03 GW, enquanto o montante do ano passado ficou em 0,73 GW. A capacidade instalada da fonte no Brasil chegou a 6,2 gigawatts. O resultado representa crescimento de 78% em relação ao ano passado, quando a capacidade era de 3,5 GW.

Secom Bahia

História Hoje: Brasil conquistava o tetracampeonato no futebol há 21 anos


Há vinte e um anos o Brasil conquistava o tetracampeonato mundial de futebol nos Estados Unidos, ao vencer a Itália na partida final.

A Seleção Brasileira apresentou um futebol de grande eficiência, sob o comando do técnico Carlos Alberto Parreira.

No primeiro jogo da Copa do Mundo de 1994 o Brasil venceu a Rússia por dois a zero, em seguida derrotou a República de Camarões por três a zero e empatou em um a um com a Suécia.Nas oitavas de final derrotou os Estados Unidos por 1 a 0; nas quartas de final eliminou a Holanda por 3 a 2, e na semifinal venceu a Suécia em 1 a 0.

Na final, o Brasil enfrentou sua grande rival, Itália, também tri campeã do mundo. O jogo terminou empatado em zero a zero nos 90 minutos do tempo normal e na prorrogação.

A torcida brasileira ficou com os nervos a flor da pele com a cobrança dos pênaltis. O Brasil marcava um gol e a Itália descontava até que o jogador italiano Roberto Baggio perdeu o pênalti dando a vitória à seleção canarinho por três a dois.

A final entre Brasil e Itália entrou para a história por dois motivos: primeiro, pelo fato de juntar frente a frente duas das três únicas seleções que haviam conquistado três edições de Copa do Mundo, portanto, uma delas acabaria se sagrando tetracampeã, ultrapassando as rivais.

Segundo, porque foi a primeira vez em que a final de uma Copa do Mundo foi decidida na cobrança de tiros livres na marca de pênalti.

O jogador Romário foi maior destaque da Copa dos Estados Unidos. Marcou cinco gols e acabou confirmando a sua espetacular fase vivida então no Barcelona, fazendo por merecer a escolha da FIFA como melhor jogador da Copa de 1994.

Ainda em campo, festejando a conquista histórica, a Seleção Brasileira decidiu homenagear o piloto brasileiro de Fórmula 1, Ayrton Senna, que morrera cerca de dois meses antes em um acidente no GP de Ímola, em San Marino, na Itália.

A homenagem veio estampada no cartaz que dizia: "Senna, Aceleramos Juntos. O Tetra é Nosso".

História Hoje: Programete sobre fatos históricos relacionados às datas do calendário. É publicado desegunda a sexta-feira. - Apresentação Carmen Lúcia


Deputados criticam Cunha e falam em "votações irresponsáveis"

Carolina Gonçalves - Repórter da Agência Brasil Edição: Beto Coura

As declarações do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), no balanço sobre os primeiros seis meses de trabalho neste ano provocaram reações instantâneas de parlamentares. Eles se reuniram no Salão Verde da Casa para fazer críticas à gestão de Cunha e demonstrar insatisfação com os resultados apresentados.



O deputado Alessandro Molon (PT-RJ) disse que ficou surpreso com a preocupação do PMDB com as eleições de 2018. Nomes de destaque no partido de Cunha anunciaram que não vão manter a aliança com o PT no próximo pleito eleitoral. “A principal preocupação é com eleições, em vez de garantir o mínimo de estabilidade ao governo. Estão se comportando como ponto de desestabilização do governo”, afirmou Molon.

Hoje (16), Eduardo Cunha disse que o PMDB não aguenta mais o compromisso firmado com o partido do governo, mas vai continuar ao lado da presidenta Dilma Rousseff até o final do segundo mandato, para garantir a governabilidade do país. Uma das reclamações de Cunha, que está no comando da Câmara desde fevereiro, é que, apesar da aliança, o PMDB não manda sequer nos ministérios que ocupa, ficando apenas com o ônus no acordo com o PT.

Para Molon, o que ocorre é o contrário. O PMDB quer apenas os bônus em vez de apoiar o governo. Ele criticou também a gestão da Câmara. Segundo ele, a sensação de que o Legislativo está fortalecido é um engano, e a Câmara concluiu “votações irresponsáveis” no primeiro semestre.

Pelo balanço da presidência da Câmara, nesse período, foram aprovadas 90 matérias entre projetos de lei, propostas de emenda à Constituição, medidas provisórias, projetos de decreto legislativo, de lei complementar e de resolução.

Entre os textos estão as medidas de ajuste fiscal defendidas pelo governo, a regulamentação da terceirização de mão de obra e as propostas de reforma política e redução da maioridade penal, que precisam ser concluídas em votação em segundo turno, antes de serem enviadas ao Senado.

O deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) admitiu, como Cunha, que nunca se votou tanto, mas alertou que nunca se votou de modo tão atropelado. “Nunca se desrespeitou tanto as comissões especiais. A Câmara está sob suspeita”, afirmou.

Alencar disse que, quando uma matéria desagrada ao bloco de Cunha, é votada novamente na Casa. Ele se referia a sessões como as que aprovaram os projetos da terceirização e da redução da maioridade penal.

Júlio Delgado (PSB-MG) chegou a classificar Cunha de “déspota” e a deputada Luiz Erundina (PSB-SP) apontou “o clima de autoritarismo” na Câmara.


Preso boliviano que mantinha 18 peruanos em regime de escravidão em São Paulo

Daniel Mello - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

A Polícia Civil de São Paulo prendeu o boliviano Efraim Amachi Quisocaba, que mantinha 18 peruanos em regime de escravidão na zona leste paulistana. Os estrangeiros viviam em uma casa no bairro da Penha, onde funcionava uma oficina de costura clandestina.



Entre os libertados, três são adolescentes: um rapaz de 17 anos e duas moças, de 15 e 17 anos, sobrinhas do responsável pelo local. Dois irmãos do acusado também estavam entre as vítimas encontradas pela polícia. Entre os adultos, 11 eram homens e cinco mulheres.

Os policiais chegaram à oficina após a denúncia de duas das pessoas mantidas no local. Um dos trabalhadores, de 44 anos, conseguiu escapar com o filho de 17 anos e pocurou a polícia. Os peruanos eram obrigados a trabalhar 16 horas por dia e recebiam R$ 0,60 por peça costurada. Metade da remuneração era retida pelo acusado, como custeio da moradia e alimentação fornecida aos estrangeiros.

Segundo o delegado César Camargo, um dos responsáveis pela operação realizada ontem (15) à tarde, a situação dos alojamentos era extremamente precária e a alimentação, limitada. “Em um banheiro que consegui descobrir, havia uma parede falsa e um túnel conduzindo aos quartos, que pareciam celas. Um cheiro insuportável de bolor e nenhuma ventilação”, descreveu.

Os peruanos foram recrutados por anúncios na província de Puno, fronteira com a Bolívia. De acordo com o delegado, isso explica as relações de parentesco entre parte das vítimas e o acusado. Para Camargo, mesmo mantidos sob as mesmas condições, os dois irmãos de Efraim ajudavam a vigiar as demais vítimas.

Para atrair os trabalhadores, o responsável pela oficina oferecia salário de R$ 2 mil e pagava a passagem dos interessados. Os estrangeiros usaram a fronteira com o Acre na viagem de quatro dias de ônibus até São Paulo. “Vamos pesquisar essa nova rota”, informou o delegado.

César Camargo explicou que normalmente os estrangeiros libertados em São Paulo entram pelas fronteira com o Paraguai ou diretamente da Bolívia, pelo estado de Mato Grosso.

A polícia investiga quem contratou os serviços da oficina. As peças apreendidas tinham etiquetas de marcas coreanas. Camargo acrescentou que é preciso apurar se o boliviano era mesmo o dono do local, uma vez que ele também vivia no ambiente insalubre da casa.

“Efraim tinha um quarto um pouco melhor, na parte mais ventilada. Mas será que aquilo ali é do Efraim ou ele é apenas laranja de alguém? Por que ele também se submetia àquela situação?”

As vítimas estão recebendo auxílio da Secretaria de Estado da Justiça de São Paulo e do consulado peruano.


Inema alerta cuidados com pinguins que aparecem na costa baiana nesta época do ano


Pouco encontrados no Brasil, mas bastante conhecidos, os pinguins estão de passagem pela costa baiana. Esse acontecimento, que é costumeiro de junho a setembro nas praias do litoral do estado, deve ser assistido para que os animais recebam todos os cuidados devidos. Ao encontrar um desses animais em praias, as pessoas devem acionar a Guarda Municipal (3202-6000), o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – Ibama (3172-1650) ou o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos – Inema (0800 071 1400), a fim de encaminhá-los ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), que fica no bairro do Cabula. Eles podem sofrer com o frio, por isso não devem ser colocados em geladeiras, freezer ou caixas com gelo. Basta acomodá-los em caixas de papelão, forradas com jornal e acionar os órgãos competentes.

Boa Música & Boa Noite - 01h da manhã


A espécie encontrada no Brasil é da Patagônia, na Argentina, onde vive em colônias, e chegam a viajar por cerca de cinco mil quilômetros até a Bahia. Os Pinguins de Magalhães (Spheniscus magellanicus), que podem medir de 51 a 100 centímetros, sobem pela corrente das Malvinas e chegam ao litoral sul do país depois de seguirem os cardumes de anchovas. Esta mesma corrente e o fato da plataforma continental na costa da Bahia ser bastante estreita, apresentando largura média de 20 km, permite um numero maior de ocorrências de outras espécies polares um tanto raras, tais como a foca-leopardo (Hydrurga leptonyx) foca-caranguejeira (Lobodon carcinophaga) e o elefante marinho (Mirounga leonina). Aqui, eles procuram terra firme para se aquecer, pois quando ficam sujos de óleo ou debilitados por alguma doença, a temperatura do corpo deles cai e tentam se aquecer em solo. A temperatura média das aves é de 41 graus.

"A maioria dos pinguins encontrados no país é formada por filhotes. É o chamado processo de dispersão. É quando os filhotes começam a sair de seus ninhos em busca de independência e de comida. Ainda assim, no meio deste grupo aparecem animais mais velhos, idosos e por isso bem cansados. Os pinguins se dispersam por causa das tempestades como o El Niño e La Niña. A corrente das Malvinas é muito intensa e faz com que os animais cheguem ao litoral do Brasil, desde o Rio Grande do Sul até a Bahia”, explicou o médico veterinário e coordenador do Zoológico de Salvador, Gerson Norberto.

Curiosidade

Estes pinguins só se deslocam à terra entre setembro e abril, para nidificar (formar ninho) e fazer a muda de penas. No resto do ano permanecem no mar e acompanham as migrações de anchova – o seu principal alimento. Eles põem dois ovos, sob arbustos ou em buracos, que forram com penas, paus, folhas e algas. Estes ninhos mantêm os pintos quentes e protegidos do vento e chuva gelada, até completarem a muda e poderem ir para o mar. Ao contrário de outros pinguins, desde que haja alimento, os progenitores cuidam de ambos os pintos.

Secom Bahia

Relatório da Moodys menciona incertezas políticas no Brasil

Kelly Oliveira - Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

O fraco desempenho da economia do Brasil vai continuar a influir sobre os resultados das empresas brasileiras, pelo menos até meados de 2016. Tal cenário coincidirá com incertezas políticas, inflação e deterioração da confiança de investidores. Essa é a avaliação da agência de classificação de risco, Moodys, em relatório, divulgado hoje (16).


A agência espera que o Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, tenha queda de 1,8, em 2015, e crescimento de 1% em 2016.

Para a Moodys, a investigação da Operação Lava Jato levou os investidores a ficarem mais cautelosos em relação a empresas não financeiras do Brasil, limitando o acesso das companhias aos mercados globais.

A agência também considera que a confiança do consumidor e o poder de compra deteriorou-se em ambiente de aumento das dívidas das famílias, de alta de juros, da inflação e do desemprego.


Advogado da União critica disputa de protagonismo em acordos de leniência

Ivan Richard – Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

O ministro da Advocacia-geral  da União, Luiz Inácio Adams defendeu hoje (16), em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras da Câmara dos Deputados, que haja colaboração entre a Controladoria-geral da União (CGU) e o Ministério Público Federal na celebração dos acordo de leniência. Para Adams a competição pelo “protagonismo” – em que os órgãos disputam quem comanda os acordos de leniência  - não é bom expediente para o país.

“O que existe, de fato, é uma especial de disputa de protagonismo: quem conduz, quem é o líder, quem manda”, disse Adams. E acrescentou: “Ou os órgãos trabalham em colaboração, em respeito aos espaços institucionais, espaços de troca, ou [será uma disputa] de quem manda”.

O advogado-geral da União, Luiz Inácio Adams, disse na Comissão Parlamentar de Inquérito da Petrobras que as empresas devem ressarcir integralmente a administração pública pelos prejuízos causados José Cruz/Agência Brasil
“Não é assim que deve funcionar: o Brasil precisa de diversidade de visões”, disse o ministro. Segundo Adams, nenhum órgão tem a determinação final do assuntos. “Os órgãos devem atuar em conjunto nas atribuições que lhe competem”, acrescentou.

Sobre os acordos de leniência, Adams afirmou aos membros da CPI que a empresas, ao concordar em assiná-los, têm – de forma obrigatória - de ressarcir integralmente a administração pública pelos prejuízos causados.

“Ressarcimento parcial não é ressarcimento. Ou faz o ressarcimento integral ou não há acordo de leniência. Tem que ser integral”. Para o ministro, além do ressarcimento econômico, as empresas que queiram celebrar acordos de leniência têm de promover também mudanças internas para evitar novos casos de corrupção.

Cunha diz que Câmara não vai aprovar repatriação de recursos no exterior

Carolina Gonçalves - Repórter da Agência Brasil Edição: Carolina Pimentel

O presidente da Câmara do Deputados, Eduardo Cunha, disse que Casa não vai aprovar repatriação de recursos no exteriorJosé Cruz/Agência Brasil
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), antecipou hoje (16) que a Casa não vai aprovar o projeto de lei que trata da repatriação de recursos no exterior analisado pelo Senado. O texto, do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), facilita a repatriação de ativos mantidos no exterior, medida considerada importante pelo Executivo para buscar formas de aumentar a arrecadação diante da crise. Cunha tem declarado que os deputados podem deliberar sobre o assunto e há inclusive propostas na Casa sobre o tema, mas, segundo ele, o governo precisa assumir abertamente a iniciativa e mandar um projeto próprio.

"O governo está terceirizando o projeto legislativo, está usando senador de laranja para projeto. Aí já é um absurdo", disse Cunha, depois de apresentar um balanço das atividades da Câmara no primeiro semestre.



A base aliada e a equipe econômica vem se mobilizando para acelerar a aprovação desta proposta e quer que o tema avance logo nas primeiras semanas de agosto, quando os parlamentares retornarem do recesso. O projeto prevê formas de recuperar ativos no exterior e serviria como um precedente para a reforma do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). A estratégia é usar os recursos com pagamento de impostos, a partir de 2017, para compor os fundos de compensação que seria criado para os estados que vão perder arrecadação com a unificação do ICMS.

Enquanto o Planalto não revê a estratégia, o presidente da Câmara deve manter como prioridades, para o segundo semestre, a votação da PEC do Pacto Federativo que impede a transferência de obrigações e encargos aos estados e municípios sem que haja a transferência de recursos, a conclusão da PEC da reforma política e a que reduz a maioridade penal. Eduardo Cunha também pretende votar, nos primeiros dias de agosto, a revisão do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Ele refutou especulações em torno de uma "pauta-bomba", com a aprovação de projetos que criam mais despesas para o governo e que reduzam a arrecadação.

 “[O projeto do] FGTS não tem qualquer impacto nas contas públicas. Não tenho o histórico de patrocinar causas que arrombem as contas públicas. O texto do FGTS trata dos novos depósitos a partir de 2016”, afirmou.

O alerta, segundo Cunha, é em torno das propostas corporativas. Na opinião do parlamentar, quando há uma crise de governabilidade como a atual, existe pressão por pautas de categorias, o que acaba aumentando as despesas, como as propostas de defesa de autonomia financeira de advogados públicos, auditores fiscais e delegados e que aguardam uma posição do Legislativo. Eduardo Cunha voltou a criticar a condução do governo e avaliou que, diante da crise política e econômica no país, “o governo deveria ter dado o sinal com a redução de ministérios e cargos de confiança". "Se economia [com esta medida] é pouca, tem, pelo menos, um simbolismo de que o governo está preocupado com contenção de gastos”. A proposta que trata desta redução tramita há dois anos na Câmara. Cunha afirmou que, aprovada na comissão especial, a PEC será incluída na pauta de votações do plenário.

Balanço

Em um balanço sobre os trabalhos da Câmara no primeiro semestre, Cunha destacou a celeridade das votações, principalmente em relação às matérias que tramitavam há décadas na Casa, como as da reforma política e da maioridade penal. Segundo ele, mesmo que o resultado não tenha agradado algumas bancadas, a sociedade tem clareza de que o trabalho está sendo feito.

“Quando você não trabalha, você tem crítica porque não vota. Dizer que um projeto que está há 20 anos, um texto que tramita há 11 anos, foi atropelado, parece mais uma posição política de oposição”, avaliou.

Segundo ele, as disputas em torno das matérias é natural e, nos últimos meses, gerou dois tipos de obstrução. “Tinha a obstrução normal [praticada pelos partidos que tentam evitar a votação de algumas medidas ou alterar textos a partir de acordos] e obstrução de criar caso. [A crítica sobre a condução do processo de votação] é choro de quem perdeu votações”.

Pronunciamento

Amanhã (17), o parlamentar fará um pronunciamento em cadeia de rádio e televisão. As expectativas em torno do discurso têm movimentado as redes sociais, com manifestos de apoio e de repúdio. Os contrários pretendem fazer um panelaço durante a transmissão prevista para 20h30. O parlamentar disse que “vai ser divertido” e, em tom de tranquilidade, atribuiu a manifestação ao PT.

“Se tiver panelaço, vou ficar muito feliz porque vai ser do PT, vai ser um petezaço. Se fizerem isto, a única coisa que vão conseguir é dar destaque ao meu pronunciamento e eu não estou fazendo isto em busca de apoio popular. Estou fazendo uma prestação de contas”.

Ao avaliar os cinco meses à frente da Câmara, o presidente brincou com jornalistas ao afirmar que não elencaria seus erros. “Se perguntar a um pai se um filho é feio, ele vai dizer que o filho é bonito. Deixa vocês criticarem minhas falhas”, disse, completou afirmando que conseguiu cumprir o que prometeu ao assumir o cargo.

“Independentemente de conteúdo e de concordar ou não com o conteúdo, eu consegui fazer o que me comprometi a fazer. O meu maior acerto foi recuperar a independência da Câmara dos Deputados, que estava submetida a uma pauta do Poder Executivo, atrelada e dependente”.

Delação premiada

Sobre declarações do doleiro Alberto Youssef que o acusa de ter recebido a propina pelo aluguel de navios-sonda para a Petrobras em 2006, o parlamentar voltou a afirmar que está “muito tranquilo e sereno” em relação às investigações. “Eu durmo. Quem não deve não teme”, afirmou. Cunha evitou fazer avaliações sobre as operações da Polícia Federal. Segundo ele, essa decisão foi tomada junto com seu advogado para evitar “interpretações” sobre suas declarações. O peemedebista não comentou sobre a operação policial feita ontem para apreensão de documentos e objetos de investigados e limitou-se a criticar o “espetáculo” durante as buscas.

Cunha ainda minimizou o papel do Tribunal de Contas da União (TCU) na avaliação das contas do governo. O TCU apresentou mais de dez questionamentos ao governo sobre as operações feitas ao longo de 2014 e deu o prazo até o próximo dia 22 para esclarecimentos. Cunha explicou que o tribunal tem uma avaliação técnica, mas é o Congresso que aprova ou rejeita as contas do governo.

“O que acontece é que a gente não vota as contas há muito tempo. Vou colocar para votar a partir da primeira semana de agosto”.


Tesouro retira título Global 2040 do mercado externo

Kelly Oliveira – Repórter da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger

O Tesouro Nacional anunciou hoje (16) a retirada do mercado do título Global 2040, denominado em dólares. O título, que pertence à carteira da Dívida Pública Federal Externa e foi lançado em 9 de agosto de 2000, será integralmente retirado do mercado.

O Tesouro anunciou a opção de compra no valor total de US$ 1,156 bilhão. “O valor total da operação já consta do orçamento da dívida pública mobiliária federal externa para o ano de 2015 e a compra antecipada de moeda estrangeira no montante necessário para a concretização da operação já foi realizada” disse o Tesouro, em nota.

Por meio dos títulos públicos, o Tesouro pega dinheiro emprestado dos investidores para honrar os compromissos. Em troca, o governo se compromete a devolver o dinheiro com prazos e juros estabelecidos na negociação com o mercado. Juros mais baixos e prazos maiores são favoráveis ao Tesouro porque facilitam a administração da dívida pública.

História Hoje

Explosão da primeira bomba nuclear completa 70 anos
Wikipédia, a enciclopédia livre
Há 70 anos, aconteceu a primeira explosão de uma bomba nuclear. Havia um projeto secreto dos Estados Unidos chamado Manhattan, desenvolvido no Novo México, em uma área de testes onde aconteceu a detonação.

* História Hoje: Programete sobre fatos históricos relacionados às datas do calendário. É publicado desegunda a sexta-feira.

Apresentação Dilson Santa Fé
www.radiocabriola.com


Brasil sobe para terceiro no quadro de medalhas dos Jogos Pan-Americanos

Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil Edição: Talita Cavalcante

O desempenho de ouro da natação brasileira, na noite dessa quarta-feira (15) ajudou a levar o Brasil à terceira posição no quadro de medalhas dos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá. Já são 16 medalhas de ouro, 14 de prata e 25 de bronze. O Brasil só fica atrás dos donos da casa, com 33 ouros, e dos Estados Unidos, que subiram 28 vezes no topo do pódio. Logo atrás do Brasil, estão Cuba e Colômbia. Os dois países também conquistaram 16 ouros, mas ficam atrás no número de medalhas de prata.

Além das seis medalhas da natação, sendo três de ouro, o Hino Nacional também tocou na disputa do halterofilismo. O atleta Fernando Reis venceu a prova na categoria acima de 105 kg, ao levantar um total de 427 kg em quatro tentativas. A medalha de prata ficou com o Canadá e a de bronze, com o Equador.

O desempenho brasileiro também teve destaque no badminton, com duas medalhas de prata. As irmãs Luana e Lohaynny Vicente, além da dupla Daniel Paiola e Hugo Arthuso, perderam as finais, mas garantiram lugar no pódio. No tiro rápido 25 metros, Emerson Duarte também levou a prata.

No futebol feminino, um placar que traz más lembranças para os brasileiros se repetiu. Mas, dessa vez, a nosso favor. A Seleção venceu o Equador por 7 a 1, com direito a cinco gols de Cristiane, sendo quatro deles de cabeça. "Tenho uma boa impulsão e aproveitei que elas não marcavam. Foi um alívio, na verdade, tirei um peso que estava carregando", disse a atacante ao site do Comitê Olímpico Brasileiro (COB). Cristiane havia deixado o mundial de futebol feminino, no mês passado, sem marcar nenhum gol.

Hoje, em Toronto, o Brasil entra em ação no vôlei de praia e, no tênis feminino, a dupla brasileira Beatriz Haddad e Paula Gonçalves disputa o bronze com as argentinas Maria Irigoyen e Paula Ormaechea. O Brasil também volta a cair na água nesta quinta-feira. Nas eliminatórias da natação feminina, Joanna Maranhão e Gabrielle Roncatto disputam os 400m medley, enquanto Daiene Dias e Daynara de Paula nadam os 100 metros borboleta. As meninas dos 4x200 metros livre também competem hoje.

Na natação masculina, Arthur Mendes disputa as eliminatórias dos 100 metros borboleta e Brandonn Almeida e Thiago Pereira nadam os 400 metros medley.

Bolsa chinesa tem ligeira alta após duas sessões em queda

Da Agência Lusa

A bolsa chinesa se recuperou ligeiramente (0,46%) hoje (16), após fechar duas sessões seguidas em baixa e ameaçar comprometer a recuperação que começou no final da semana passada.

O índice Composite de Xangai fechou nos 3.823 pontos, acima dos 3.805 contabilizados na quarta-feira (15). Na bolsa de Shenzhen, de menor dimensão, as ações subiram 1,86%.

A ligeira alta de hoje ocorre um dia após a divulgação dos resultados do desempenho da economia da China no primeiro semestre de 2015, que apontam para um crescimento de 7%. A estimativa é 0,4 pontos percentuais abaixo do mesmo período de 2014, mas excede os 6,8% e 6,9% previstos por algumas agências internacionais.

Entre meados de junho e o dia 8 de julho, a bolsa chinesa já caiu cerca de 30%, em uma desvalorização estimada em mais de US$ 3 bilhões que alarmaram os mercados internacionais. Há uma semana, cerca de mil empresas suspenderam a venda de suas ações, cumprindo uma das medidas para tentar estabilizar a situação. Em seguida, durante sessões consecutivas, a bolsa chinesa subiu 13%.

Na terça-feira (14) e na quarta, o índice voltou a cair 1,16% e 3,03%, respetivamente.



Aprovação de acordo pela Grécia é "passo importante", diz Comissão Europeia

Da Agência Lusa Edição: Denise Griesinger

O primeiro-ministro grego Alexis Tsipras discursa para membros do Parlamento, durante sessão que aprovou o programa de ajuda de credores internacionais a Grécia Alexandros Vlachos/AFP/Agência Lusa
A Comissão Europeia considerou hoje (16) que a aprovação, pelo Parlamento grego, do acordo alcançado entre a Grécia e os credores internacionais sobre um terceiro programa de ajuda, constitui “um passo importante” para reconstruir uma relação de confiança com Atenas.

“O Parlamento grego deu ontem (15) um passo importante para reconstruir a confiança com os parceiros internacionais da Grécia. Uma ampla maioria dos deputados adotou o primeiro pacote de reformas, em linha com os compromissos acordados na cúpula do euro de 12 de julho”, disse a porta-voz Annika Breidthardt, durante coletiva de imprensa da Comissão Europeia.

Annika acrescentou que “as instituições trabalharam ao longo da noite para produzir uma análise comum destas propostas. A avaliação é que as autoridades gregas implementaram legalmente o primeiro pacote de medidas dentro do prazo e de forma globalmente satisfatória”.

A aprovação, pelo Parlamento, do primeiro pacote de reformas acordado na cúpula, que terminou na segunda-feira passada, era uma condição exigida a Atenas para lançar o processo formal de negociações para um terceiro programa de assistência financeira à Grécia, para os próximos três anos, e cujo montante deverá chegar a 86 bilhões de euros.

O Parlamento grego aprovou, na madrugada de hoje, o acordo alcançado na segunda-feira com os líderes da zona euro para permitir o terceiro resgate financeiro do país. O partido no poder, o Syriza, aprovou o acordo graças ao apoio de forças políticas de oposição.

Segundo a televisão estatal da Grécia, 229 deputados votaram a favor do acordo, seis abstiveram-se e 64 se manifestaram contrários. Metade dos votos contra e a totalidade das abstenções vieram do partido que sustenta o Governo, o Syriza. Entre os que votaram contra estivavam a presidenta do Parlamento, Zoe Konstantopoulou; o ministro da Energia, Panagiotis Lafazanis; e o ex-ministro das Finanças Yanis Varoufakis.




Banco Asiático de Desenvolvimento prevê crescimento de 6,1% para a região

Da Agência Lusa

O Banco Asiático de Desenvolvimento (BAD) previu hoje que os países em desenvolvimento da Ásia cresçam 6,1% este ano e 6,2%, em 2016, em razão da lenta recuperação dos Estados Unidos e do abrandamento da China.

Na atualização do relatório anual de perspectivas apresentado nesta quinta-feira em Pequim, o BAD também destaca a incerteza provocada pela crise da Grécia na Zona do Euro e as potenciais consequências sobre a procura europeia por produtos asiáticos.

A instituição, com sede em Manila, coloca a Índia como o país com o mais rápido crescimento no próximo biênio, com previsões de 7,8% para este ano e de 8,2% para o próximo.

Depois da Índia, aparece a China, país para o qual o banco projeta um crescimento de 7% em 2015 e 6,8% em 2016. Fechando o ranking, figuram as Filipinas, com um crescimento estimado de 6,3% em ambos os anos.

A emergência da Índia converte a Ásia Meridional (Paquistão, Afeganistão, Bangladesh, Butão, Índia, Maldivas, Nepal e Sri Lanka) na zona com previsões de maior crescimento em 2015 e 2016 (7,6% ao ano), que supera assim a Ásia Oriental (China, Taiwan, Coreia do Sul, Hong Kong e Mongólia), com 6,3% este ano e 6,2% em 2016.

Para a sub-região do Pacífico (Ilhas Cook, Fiji, Kiribati, Ilhas Marshall, Micronésia, Nauru, Palau, Papua Nova Guiné, Samoa, Ilhas Salomão, Timor, Tonga, Tuvalu e Vanuatu), espera-se um crescimento de 9,9% em 2015 devido ao início das exportações de gás liquefeito na Papua Nova Guiné.


Natação brasileira tem noite de ouro no Pan com medalhas e quebra de recordes

Da Agência Brasil Edição: Jorge Wamburg

Com três medalhas e o lugar mais alto no pódio, a natação brasileira teve uma noite de ouro nesta quarta-feira (15) nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá, encerrada com uma emocionante vitória no revezamento 4 x 200 metros, em que superou  os Estados Unidos e o Canadá, nadando em 7m11s15 e estabelecendo o recorde pan-americano da prova, com a equipe formada João de Lucca, Luiz Altamir,  Thiago Pereira e Nicolas Oliveira.

O resultado da prova ainda depende de confirmação, porque o quarteto dos Estados Unidos, que chegou em segundo lugar e ficaria com a medalha de prata, foi desclassificado e teve a posição ocupada pelo Canadá. A desclassificação da equipe norte-americana foi motivada pelo uso de uma tala na mão esquerda de um dos nadadores, sem permissão da arbitragem, como exige o regulamento da natação.

Outra medalha de ouro foi conquistada por João de Lucca, nos 200 metros livre, com 1m46s42, novo recorde pan-americano, superando a marca de Brett Frase, das Ilhas Cayman, de 1m47s18. Nesta prova, Nicolas Oliveira terminou em quinto, com 1m47s8.

O terceiro ouro da natação brasileira neste segundo dia de provas foi de Thiago Simon, no nado de peito, com 2m09s82, também novo recorde pan-americano. A medalha de bronze ficou com outro brasileiro, Thiago Pereira, que  participou ainda do ouro no revezamento 4x200m livre e se tornou o maior medalhista brasileiro dos Jogos Pan-americanos, com 21 no total, superando a marca que pertencia a Gustavo Borges, com 19 medalhas em quatro edições do Pan.

Thiago Pereira acumula 14 medalhas de ouro, 3 de prata e 4 de bronze e poderá superar o ex-ginasta cubano Erik López,  que tem 22 e é o maior ganhador  de medalhas na história do Pan. Ao todo, o Brasil conquistou três medalhas de ouro e três de bronze, nesta quarta-feira, totalizando agora cinco primeiros e seis terceiros lugares, alcançando o segundo lugar no balanço de medalhas da natação, superado apenas pelo Canadá, com cinco de ouro, sete de prata e uma de bronze.

Nos 200m costas, Leonardo de Deus obteve sua segunda medalha no Pan 2015, depois do ouro nos 200m borboleta no primeiro dia dos jogos. Ele conquistou o bronze, com 1m58s27, atrás dos americanos Sean Lehane e Carter Griffin, ouro e prata respectivamente.

Nos 200m livre feminino, Manuella Lyrio terminou em terceiro lugar e ficou com o bronze, marcando 1m58s32 e superando o recorde sul-americano da prova, de 1m58s53, que pertencia a Larissa Oliveira, que não se saiu bem na prova e marcou o tempo de2m00s32. A norte-americana Allisson Schmitt ficou com a medalha de ouro, e a canadense Emily Overholt, com a de prata.

O Brasil também conquistou medalha de ouro no halterofilismo, nesta quarta-feira: O atleta Fernando Reis venceu a prova na categoria acima de 105 kg, ao levantar um total de 427 kg em quatro tentativas. A medalha de prata ficou com o Canadá e a de bronze com o Equador.



Mercosul destaca importância da sociedade civil na construção da cidadania

Ana Cristina Campos - Repórter da Agência Brasil Edição: Aécio Amado

Uma nova Declaração Sócio-Laboral do Mercosul será assinada pelos presidentes dos países do bloco (Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Venezuela), durante a 48ª Cúpula do Mercosul, na sexta-feira (17), em Brasília. O documento está sendo finalizado pelos participantes da 18ª Cúpula Social do bloco, que ocorre até amanhã (16), na capital federal.

Segundo o alto representante-geral do Mercosul, Doutor Rosinha, o documento reconhece a sociedade civil como protagonista na construção de direitos e de cidadania no Mercosul, além de definir princípios e diretrizes que permitem aos trabalhadores cobrar seu cumprimento.

A primeira declaração de 1998 passou por revisão de uma comissão tripartite formada por representantes dos governos, dos sindicatos patronais e dos trabalhadores. “Essa nova declaração dá condição aos Estados-partes se pautarem internamente na questão do direito ao trabalho decente e de combate ao trabalho infantil”, disse Doutor Rosinha.

A Cúpula Social ocorre desde 2006 como um espaço de diálogo para ampliar e fortalecer a participação da sociedade no processo de integração regional. A proposta é discutir com integrantes do governo, do legislativo e da sociedade civil a economia solidária, os direitos humanos, as questões de gênero, o desenvolvimento sustentável e social relativos ao bloco sul-americano. A edição deste ano tem como tema “Avançar no Mercosul com mais Integração, mais Direitos e mais Participação”.


Pesquisa: brasileiro está mais consciente na hora de consumir

Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil Edição: Jorge Wamburg

O brasileiro está mais consciente na hora de consumir, revela estudo divulgado hoje (15), no Rio de Janeiro, segundo o qual 85% da população entendem que o progresso não está em consumir mais, mas em consumir melhor (a média mundial é de 78%), enquanto 75% acreditam que um consumo exagerado pode impor riscos ao planeta e à sociedade, também superando a média mundial, que é de 70%.

Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (Cebds) e a agência global Havas, divulgado hoje (15), no Rio de Janeiro.
De acordo com a publicação Estilo de vida sustentável no contexto brasileiro, a percepção é que o Brasil está mais avançado em relação ao mundo, de acordo com a gerente de Projetos e Conteúdo do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (Cebds), Ana Carolina Szklo, entidade que realizou a pesquisa em conjunto com a agência global Havas

Esses avanços não significam, porém, que o brasileiro dê mais valor à questão da sustentabilidade na hora de consumir. “Não, de forma alguma”, comenta Ana Carolina. Há algumas inconsistências nisso, diz ela.  Por exemplo, 45% da população dizem que é usual comprar itens e produtos de que não precisam e depois se arrependerem.

O estudo aponta também alguns critérios colocados na tomada de decisão do consumidor. O primeiro ponto, que desperta mais preocupação no brasileiro, é a segurança, com 71%. Consumo excessivo surge no final da relação, com 43%. A questão da sustentabilidade, ligada à energia, concentra 44% da preocupação das pessoas. Já a questão da mudança climática e destruição ambiental obtém percentual maior, de 57%.

Ana Carolina afirma que o consumo é atrelado ao maior poder econômico de compra. “Ainda se observa que o pessoal acredita que quanto maior o consumo, maior a taxa de sucesso: quase 70% acreditam que a compra de produtos chega a ser quase um ato patriótico e 57% analisam que se a população consumir menos, uma parcela importante dos empregos será perdida”. Ela acrescenta que, no campo individual, as pessoas tendem a respeitar mais aqueles que têm dinheiro suficiente para comprar o que quiserem. Ana Carolina diz que consumir faz parte da vida dos brasileiros: quase 70% dizem que fazer compras é uma das melhores formas de se passar o tempo com a família.

Os brasileiros demonstram boas intenções, mas ainda compram de forma excessiva. Oitenta e seis por cento das pessoas acreditam que é sua responsabilidade fazer a diferença e que as empresas devem ter um papel mais ativo nesse processo. A publicação da pesquisa foi feita com base em dados deste ano.

A gerente do Cebds acrescenta que, também 86% dos entrevistados acreditam que os negócios mais bem sucedidos no futuro serão os que incorporam as questões da sustentabilidade. “É interessante porque, de um lado, o consumidor enxerga a sua responsabilidade, mas, de outro lado, aposta muito fortemente nas empresas, e até mais que o governo, para mudar isso”.

A gerente do Cebds avalia que o brasileiro ainda não atingiu o patamar dos europeus em relação ao consumo de produtos relacionados à conservação do meio ambiente: “Aqui ainda existe uma percepção de que produtos mais sustentáveis, mais ambientalmente corretos, são mais caros. Ao mesmo tempo, uma parcela significativa da população (80%) diz que estaria disposta a pagar um pouco mais por produtos mais sustentáveis”.

O brasileiro está apostando na melhoria qualitativa dos produtos e no engajamento em causas sociais e ambientais. Mas existem questões culturais que estão sendo trabalhadas não só no Brasil, mas no mundo todo, advertiu Ana Carolina. Os consumidores resistem a adquirir produtos concentrados, que apresentam embalagens menores, causam menos emissões de gases de efeito estufa (GEE) e menos consumo de água, por exemplo, em detrimento de produtos de embalagem maior.

Ana Carolina diz que isso abre espaço para se trabalhar com a sociedade, no sentido de levar mais conhecimento e colocar as questões de sustentabilidade na pauta do dia. “O consumidor brasileiro ainda não prioriza a questão sustentabilidade no ato da compra. Olha muito para a questão da qualidade”. No que respeita ao consumo de alimentos, que representam mais de 40% da cesta de compras de uma família, 34% optam pela praticidade e conveniência na hora de adquirir o alimento, 23% pela qualidade, 23% pelo prazer e apenas 21% pela saúde.

Ainda assim, a contribuição para o engajamento com causas ambientais e sociais por meio da compra de bens e alimentos “já é uma realidade e está sendo levado em conta cada vez mais”. De acordo com o estudo, 86% dos consumidores estão prestando maior atenção ao impacto no meio ambiente ou na área social dos produtos que compram do que ocorria no passado e 80% estão dispostos a pagar um pouco mais para adquirir produtos ambiental ou socialmente responsáveis. A publicação foi feita com base em dados deste ano.



Brasil conquista mais quatro medalhas na natação

Mariana Tokarnia - Repórter da Agência Brasil Edição: Nádia Franco e Lana Cristina

O brasileiro João de Lucca conquistou hoje (15) a medalha de ouro na prova de 200 metros nado livre na natação individual nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá, abrindo a festa dos brasileiros nas piscinas do Pan nesta quarta-feira.

Na prova de 200 metros peito masculino, foram duas medalhas para o Brasil, a de ouro e a de bronze. O brasileiro Thiago Simon ficou com o ponto mais alto do pódio, tendo feito para isso o tempo de 2m9s82, e Thiago Pereira fez o terceiro melhor tempo da prova, com 2m11s93. Com esse bronze, Thiago Pereira tornou-se o brasileiro com maior número de medalhas em Jogos Pan-Americano, 20, e está sendo chamado informalmente de Mr. Pan. Na prova, a medalha de prata foi para o canadense Richard Funk.

"Para mim já está sendo uma das etapas do meu sonho realizado", disse de Lucca, em entrevista à Sport TV, logo após receber a medalha. "Consegui fazer o meu plano de ataque e deu certo, foi uma prova muito legal". O brasileiro concluiu a prova 1m46s42. A medalha de prata nos 200 metros livre foi para o argentino Federico Grabich e a de bronze, para o norte-americano Michael Weiss.

Na prova feminina de 200 metros livre, a brasileira Manuella Lyrio conquistou a medalha de bronze. Ela fez a prova em 1m58s3. Nos 200 metros livre feminino, a norte-americana Allisson Schmitt ficou com a medalha de ouro, e a canadense Emily Overholt, com a de prata.




Parlamento da Grécia aprova acordo com credores

Da Agência Lusa

O Parlamento grego aprovou hoje (15) o acordo alcançado segunda-feira (13) com os líderes da zona do euro, de modo a permitir o terceiro resgate financeiro ao país, que poderá chegar a 86 bilhões de euros.

O partido no poder, o Syriza, aprovou o acordo graças ao apoio das forças políticas de oposição pró-europeias.

Segundo a televisão estatal da Grécia, 229 deputados votaram a favor do acordo, seis abstiveram-se e 64 manifestaram-se contra, principalmente o ex-ministro das Finanças, Yanis Varoufakis, e o presidente do Parlamento grego, Speaker Zoe Konstantopoulou.

Entre as medidas incluídas no acordo estão aumentos de impostos e cortes nas pensões.

Organismos internacionais apontam boas perspectivas agrícolas para o Brasil

Marieta Cazarré - Repórter da Agência Brasil Edição: Stênio Ribeiro

O representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic, e o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, na divulgação do relatório Perspectivas Agrícolas: Desafios para a Agricultura Brasileira 2015-2024, pela FAO e OCDE Marcelo Camargo/Agência Brasil
O relatório Perspectivas Agrícolas: Desafios para a Agricultura Brasileira 2015-2024, divulgado hoje (15) pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) aponta boas expectativas para a produção agrícola do Brasil, embora a tendência de crescimento deva ser menor que nos anos recentes. Além de representantes da FAO e da OCDE, participaram do lançamento o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, e o secretário nacional de Desenvolvimento Agropecuário, Caio Rocha, representando a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu.

O relatório é parte de documento lançado anualmente sobre as perspectivas agrícolas no mundo. Este ano, com um capítulo inteiramente dedicado ao Brasil, que estima os desafios a serem enfrentados pelo setor na próxima década. Inicialmente foi exibido um vídeo no qual o diretor-geral da FAO, José Graziano, ressalta a importância do estudo, tanto para o fortalecimento do papel do Brasil como um dos principais produtores do mundo quanto para o trabalho de erradicação da fome e da miséria.

O ministro Patrus Ananias salientou, na ocasião, a importância de se valorizar a agroecologia e a produção de alimentos saudáveis, que colaborem com a saúde das pessoas. Ele relembrou que no ano passado a FAO retirou o país do mapa da fome, reconhecendo esforços e conquistas do Brasil na luta pelo combate à desnutrição e subalimentação. Ressaltou, ainda, a importância do aumento de 20% dos recursos no Plano Safra 2015/2016 da agricultura familiar, em relação à safra passada. Enquanto isso, Caio Rocha destacou a responsabilidade que o Brasil tem por ser um grande abastecedor de alimentos do mundo.

O representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic, e os pesquisadores responsáveis pelo relatório Holger Matthey, da FAO, e Jonathan Brooks, da OCDE, fizeram exposições, apresentando os pontos principais do relatório. De acordo com o documento, em 2013, as exportações da agricultura e das indústrias agroalimentares brasileiras foram responsáveis por 36% do total das exportações, fortalecendo o papel do setor como arrecadador de moeda estrangeira. O Brasil é, hoje, o segundo maior exportador agrícola mundial e o maior fornecedor de açúcar, suco de laranja e café.

Jonathan Brooks, da OCDE, disse que em 2012 o setor agrícola empregava cerca de 13% da população brasileira. E, apesar de o Brasil estar relativamente urbanizado, com apenas 15% da população vivendo em áreas rurais, a incidência de pobreza nesses locais, onde a agricultura é a principal atividade, é mais do que o dobro da pobreza ns áreas urbanas. No entanto, o relatório aponta que um dos destaques da economia brasileira tem sido a redução da pobreza e da fome no país como um todo. O modelo adotado no país, ao melhorar o acesso aos alimentos e aumentar a produtividade, ajudou na inclusão de populações vulneráveis, acrescentou.

Segundo Holger Matthey, da FAO, as perspectivas da agricultura brasileira permanecem positivas, apesar da tendência de crescimento mais lento, tanto nacional quanto internacionalmente, e do declínio dos preços reais para a maioria das mercadorias agrícolas no cenário mundial. Os produtores, no entanto, esperam se beneficiar do aumento da produtividade e da desvalorização do real. As projeções atuais indicam que não haverá mudanças significativas nos ambientes políticos e agrícolas nos próximos anos.

Em relação à soja, o produto agrícola mais importante do Brasil na cesta de exportações, o relatório FAO/OCDE ressalva que devemos continuar sendo o segundo maior produtor do grão, atrás apenas dos Estados Unidos, e acredita que a soja deve continuar sendo o produto de exportação mais lucrativo, com mais da metade da produção interna destinada aos mercados mundiais. De acordo com o documento, as exportações brasileiras de soja deverão superar R$ 87 bilhões em 2024, sendo a China nosso maior cliente.

Por sinal, as exportações brasileiras para a China cresceram desde o ano 2000, especialmente nos últimos cinco anos. Oleaginosas, óleo vegetal, algodão, açúcar e aves são os principais produtos. Em 2014, cerca de 71% das exportações de oleaginosas – 35% da produção total do Brasil – foram para o país asiático.

Como as exportações agrícolas do Brasil são afetadas pelo desempenho econômico da China, o documento apresenta dois cenários para 2024. Caso o país tenha maior crescimento econômico, suas importações aumentarão os preços mundiais, o que fará com que a produção nacional e os preços aumentem, com redução do consumo interno. Este quadro seria positivo para o Brasil. No entanto, se o crescimento chinês for abaixo dessa projeção, não apenas as exportações de oleaginosas para a China diminuirão, como também as exportações brasileiras para outros países.



ANS reúne em cartilha principais informações para clientes de planos de saúde

Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil Edição: Jorge Wamburg

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) lançou hoje (15) em sua página na internet (www.ans.gov.br) uma cartilha que reúne as principais informações para os consumidores que querem contratar um plano de saúde ou que já tenham plano mas desejam esclarecimentos.

O gerente-geral de Regulação da Estrutura de Produtos da ANS, Rafael Vinhas, informou que a cartilha consolida todas as informações que já estão no portal corporativo da ANS, trazendo-as para uma linguagem mais simples, com formas de acesso para o consumidor que queira se aprofundar no assunto. “A ideia é colocar os principais direitos e os principais pontos de atenção que ele (consumidor) tem que ter na hora de contratar um plano de saúde ou trocar de plano de saúde”, diz o gerente-geral.

Segundo Vinhas, a cartilha tem a missão “fundamental” de tentar traduzir a linguagem técnica a que o consumidor não tem acesso diário, uma vez que ele desconhece as normas e a legislação com que a ANS e as operadoras trabalham, com o objetivo de facilitar sua tomada de decisão: “Dar uma informação mais qualificada, clara e transparente para ele”.

Rafael Vinhas externou a convicção de que, ao reunir todas as informações sobre pontos aos quais o consumidor deve estar atento quando quiser contratar um plano de saúde, ele chegará na empresa ou no seu representante com mais informações, até para exigir um plano com as características e cobertura que ele almeja.

A ANS recebe todo tipo de reclamação de consumidores. Atualmente, o maior número delas envolve negativa de cobertura e prazos de atendimento. O gerente-geral de Regulação da Estrutura de Produtos lembra que, a cada três meses, a agência faz o monitoramento da garantia de atendimento, em que as operadoras que concentram maior número de reclamações podem vir a ter produtos suspensos, sujeitando-se ainda a ter o acompanhamento de um representante da ANS na empresa: “Qualquer que seja o tipo de reclamação, o consumidor pode procurar a agência que ele vai ter um cuidado no atendimento por parte do órgão para tentar resolver a demanda dele”.

As reclamações podem ser feitas no portal da ANS, no atendimento telefônico gratuito 0800 701 9656, e nos núcleos da agência em 12 cidades localizadas nas cinco regiões do Brasil.


Ativistas criticam prefeitura do Rio por retirar direitos da população trans

Flávia Villela - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

Grupos de direitos humanos e da população de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais e Indefinidos (LGBTI) criticaram a decisão da Secretaria Municipal de Saúde, que revogou a resolução que garantia a travestis e transexuais o direito de ficarem em alas de unidades municipais de saúde de acordo com sua orientação sexual.

A revogação foi publicada esta semana. Em nota, a secretaria informou que a revogação obedeceu critérios técnicos. O comunicado acrescentou que a definição do local ou da ala da unidade de saúde onde o paciente permanecerá internado, "seja ele quem for, é o médico”.

Vice-presidente do Grupo Arco-Íris, Marcelle Esteves denominou a revogação de retrocesso. “Foi revogado o direito de cidadãos e cidadãs, inviabilizando a identidade de gênero. Estou tentando contato com a secretaria, de modo a entender que questões técnicas foram essas.” Segundo ela, o Rio sempre esteve à frente de outros estados na questão da cidadania. "Nos últimos tempos, temos percebido que estamos retrocedendo, retirando direitos de uma população que já é tão massacrada.”

Para Marcelle, que há 20 anos trabalha com direitos humanos e causas LGBT, há uma pressão de grupos religiosos radicais para que políticas públicas para a população LGBTI não saia do papel.

“Não podemos fazer política pautada em nenhum tipo de ideologia religiosa. Esse fundamentalismo tem matado mulheres e homens trans. Todo e qualquer retrocesso que retire as questões da identidade de gênero da pauta de direitos cria uma possibilidade maior dos homofóbicos, lesbofóbicos e transfóbicos praticarem violência contra essa população”, acrescentou.

Representante da Associação de Travestis e Transexuais do Estado do Rio de Janeiro (Astra), Kathyla Katheryne Valverde lamentou que o respeito à identidade de gênero dependa da opinião de um médico.

“A resolução tornava oficial o que já é oficioso. É que hoje dependemos da boa vontade do médico. É um constrangimento para as partes que uma travesti mulher tenha de ficar com um monte de homens. É preciso sensatez”, concluiu.

José Genoino é internado em hospital de São Paulo

Elaine Patricia Cruz - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

O ex-deputado federal e ex-presidente do PT José Genoino foi internado por volta das 10h de hoje (15) no Hospital Santa Cruz, região da Vila Mariana, zona sul de São Paulo. Segundo o hospital, a família de Genoíno não permitiu a divulgação de informações sobre o estado de saúde do político e o motivo pelo qual ele foi internado.

Em julho de 2013, Genoino foi internado no Hospital Sírio-Libanês, também em São Paulo, após sentir fortes dores no peito. Em novembro do mesmo ano, quando cumpria pena na Penitenciária da Papuda, em Brasília, por ter sido condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na Ação Penal 470, o processo do mensalão, ele passou mal e foi transferido para o Instituto do Coração, no Hospital das Forças Armadas.


Mianmar autoriza compra de carne bovina e de aves brasileiras

Mariana Branco - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento informou hoje (15) que o governo do Mianmar autorizou a compra de carne bovina e de aves do Brasil. De acordo com a pasta, o mercado brasileiro será o primeiro a fornecer carne in natura ao país asiático. A expectativa do setor privado é exportar cerca de US$ 87 milhões ao ano em carne de boi e aves.

As negociações com o Mianmar começaram há três meses, com apoio da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec) e Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Em maio, uma missão do país asiático esteve no Brasil. Com a abertura, as empresas brasileiras interessadas podem requerer habilitação para exportar ao Mianmar.

Recentemente, o Brasil conquistou também acesso aos mercados chinês e russo. A China oficializou este ano a suspensão de embargo à carne brasileira, vigente desde 2012. Em agosto de 2014, a Rússia habilitou 87 frigoríficos brasileiros de carne bovina, suína e de aves, após embargar os produtos dos Estados Unidos, União Europeia, Austrália, Canadá e Noruega.



Jornalista faz alerta sobre criminalização da adolescência

Comissão propõe aumentar para 12% parcela do IPI transferida aos estados

Ministério da Educação desvincula quatro instituições do ProUni

Da Agência Brasil Edição: Valéria Aguiar

O Ministério da Educação desvinculou quatro mantenedoras de instituições de ensino superior do Programa Universidade para Todos (ProUni) porque não comprovaram a quitação de tributos e contribuições federais.

O ministério garante que não haverá prejuízo para os estudantes e nem ônus para o Poder Público. O despacho foi publicado hoje (15) no Diário Oficial da União. As mantenedoras poderão interpor recurso, no prazo de dez dias, contados a partir desta quarta-feira.

As mantenedoras desvinculadas são: Centro de Ensino Superior de Homeopatia Ibehe, em São Paulo; Sociedade de Ensino de Caldas Novas, em Goiás; Faculdade de Tecnologia de Santa Catarina; e Associação de Pesquisa Educacional, em São Paulo.

A Faculdade de Ciências da Saúde, mantida pelo Centro de Ensino Superior de Homeopatia Ibehe, informou que vai recorrer. A Sociedade de Ensino de Caldas Novas disse que não tinha tomado conhecimento da decisão. A Agência Brasil não conseguiu contato com as demais mantenedoras.


Propostas do Brasil na Conferência do Clima serão ambiciosas, diz secretário

Andreia Verdélio - Repórter da Agência Brasil Edição: Valéria Aguiar

As propostas que o Brasil apresentará na 21ª Conferência das Partes (COP 21) da Convenção das Nações Unidas sobre Mudança do Clima deverão seguir o mesmo caminho, com metas ambiciosas, dos acordos climáticos firmados entre Brasil e Estados Unidos no último mês de junho. A informação foi dada hoje (15) pelo secretário de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, Carlos Klink.

Segundo ele, o Brasil é uma liderança internacional nas negociações sobre o clima e está trabalhando em alto nível político, com contribuições da sociedade acadêmica, civil, em todos os setores, para apresentar uma proposta robusta e inovadora na conferência, olhando pós-2020. “Nós demos, como disseram os americanos, um flash [uma mostra do que será apresentado na COP 21]. A questão de restaurar 12 milhões de hectares [de florestas] até 2030 é uma meta muito ambiciosa, é metade da área do estado de São Paulo de reflorestamento”.

Outra meta “ambiciosa”, segundo o secretário, no acordo feito entre Brasil e Estados Unidos é o compromisso de, até 2030, ter 20% da matriz elétrica desses países oriundas de fontes renováveis, sem considerar a fonte hidrelétrica. “Nós hoje somos [utilizamos] 9% [de outras fontes renováveis], Estados Unidos são cerca de 7%, vão ter que alcançar 20% até 2030. É por esse caminho que estamos indo”, disse Klink sobre as propostas para a COP 21.

Ele lembrou que o Brasil já tem a Política Nacional sobre Mudança do Clima, com metas de reduzir em 38% as emissões de gases causadores do efeito estufa até 2020. “Já passamos desse limite, já reduzimos mais de 41%. Então estamos usando esse aprendizado para apresentar uma boa contribuição [na COP 21].”

A COP 21, que será realizada em Paris, entre os dias 30 de novembro e 11 de dezembro deste ano, reunirá 196 países na construção de um novo acordo climático com metas globais de redução de gases causadores do efeito estufa e novos caminhos para o desenvolvimento sustentável.

Para Klink, o tema das mudanças climáticas envolve também questões de crescimento e desenvolvimento econômico e igualdade social e que o acordo entre Brasil e Estados Unidos, “países que mais reduziram emissões de gases”, ajuda a pensar conjuntamente o tema e colocar as necessidades reais em pauta, “como inovar nas questões de florestas, energia, de financiamento, continuar o combate ao desmatamento.”

Segundo o secretário, as primeiras reuniões entre representantes dos dois países estão marcadas para outubro, para a troca de aprendizagens e tecnologias.

Temer diz que PMDB quer ter candidato próprio à Presidência em 2018

Yara Aquino - Repórter da Agência Brasil Edição: Juliana Andrade

Temer diz que o PMDB quer ser cabeça de chapa nas eleições presidenciais de 2018Antônio Cruz/Agência Brasil
Líderes do PMDB e o vice-presidente da República e articulador político do governo, Michel Temer, confirmaram hoje (15) que o partido pretende ter candidato próprio nas eleições presidenciais de 2018. Nas duas últimas eleições, o partido fez aliança com o PT e elegeu o vice-presidente.

“Estamos abertos para todas as alianças, todos os partidos, apenas o que está sendo estabelecido é que PMDB quer ser cabeça de chapa em 2018”, disse Temer a jornalistas.

Além de reforçar a ideia de candidatura própria, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse que a aliança que o partido mantém atualmente com o PT é circunstancial. “O PMDB tem com o PT uma aliança estratégica circunstancial porque ela deveria acontecer em torno de apenas um programa. O PMDB desde logo está deixando absolutamente claro que vai ter um projeto de poder, que vai ter um candidato competitivo à Presidência da República”, disse Renan.

Os líderes do PMDB participaram do lançamento da plataforma digital da Fundação Ulysses Guimarães e aproveitaram o evento para falar sobre a disputa eleitoral. A ideia de fortalecer o partido nas redes sociais é, segundo eles, o primeiro passo para melhorar a interação com a sociedade e preparar o PMDB para as eleições de 2016 e 2018. O ex-presidente José Sarney e o senador Romero Jucá (PMDB-RR) também participaram do lançamento.

Na avaliação do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o partido precisa se posicionar no processo político para recuperar o protagonismo e deve disputar eleições para ter quem defenda suas ideias. “Time que não joga não tem torcida”, disse Cunha. Ele também falou sobre a aliança com o PT. “Estamos neste momento político delicado, em que muitos debates são feitos, que o PMDB faz parte de uma aliança, mas o PMDB sabe que em 2018 ele quer buscar o seu caminho, que não é com essa aliança.”

- Assuntos: PMDB, candidato próprio, eleições de 2018, Michel Temer, Presidência da República

HSBC lidera ranking de reclamações do Banco Central

Kelly Oliveira – Repórter da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger

O banco HSBC liderou o ranking de reclamações do Banco Central (BC), em junho. De acordo com dados divulgados hoje (15), foram 111 reclamações consideradas procedentes e reguladas pelo BC.

Na lista, estão as instituições com mais de 2 milhões de clientes. Para fazer o ranking, as reclamações são divididas pelo número de clientes da instituição financeira que originou a demanda e multiplicadas por 1 milhão. Assim, é gerado o índice, que representa o número de reclamações de cada instituição financeira para cada grupo de 1 milhão de clientes. O índice do HSBC chegou a 10,84. Em segundo lugar, vem a Caixa Econômica Federal, com 9,74, e depois o Bradesco, com 8,76.

A reclamação mais frequente em junho está relacionada a irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços (617). Em segundo lugar, vem as queixas sobre restrição à portabilidade de crédito consignado (404). Em terceiro lugar, ficaram as reclamações sobre débitos em conta não autorizados (270).

A Agência Brasil entrou em contato com os bancos citados e aguarda poscionamento deles sobre a pesquisa do Banco Central.



Banco Central norte-americano prevê alta dos juros até o fim do ano

Da Agência Lusa

A melhoria da situação econômica nos Estados Unidos deverá "justificar" uma alta das taxas de juros diretoras este ano, apesar das "incertezas" no cenário internacional, assegurou hoje (15) a presidenta do Federal Reserv (Fed), o Banco Central norte-americano, Janet Yellen.

"Se a economia evoluir como o previsto, a situação econômica deverá justificar, em algum momento deste ano, aumentar as taxas e começar assim a normalizar a política econômica", reafirmou a dirigente em discurso no Congresso.

Desde 2008, o Fed mantém as taxas próximas de zero para apoiar a atividade econômica, mas pretende aumentá-las, a partir de agora, na medida em que a atividade econômica norte-americana melhora e se aproxima dos seus dois objetivos que são pleno emprego e taxa de inflação próxima de 2%.

Ao evitar dar uma data precisa, Janet disse que espera que a alta ocorra até ao final de 2015, e apelou para que não se "subestime" a importância desta decisão, em uma intervenção na comissão da Câmara dos Representantes norte-americana.

Segundo a dirigente, os dados do mercado de trabalho vão bem, apesar de certas fraquezas e a inflação anual, atualmente muito baixa nos Estados Unidos (0,2% em abril), deverá subir "progressivamente".

"As perspetivas são de melhoria no mercado de trabalho norte-americano e da economia em geral", resumiu Janet, advertindo para certas "incertezas" nos cenários interno e, sobretudo, internacional. "A situação no exterior, em particular, coloca riscos sobre a economia norte-americana", disse a dirigente.

Sobre a Grécia, que chegou a um pré-acordo com seus credores na segunda-feira (13), para um novo plano de ajuda, a presidenta do Fed disse que a situação continua "difícil" apesar da recuperação "mais firme" do conjunto da zona euro.

Ela também advertiu para o caso da segunda maior economia do mundo, a China, que atravessa um período de fortes turbulências nas bolsas de valores. "A China continua a se debater com os desafios apresentados por uma dívida elevada, um mercado imobiliário fraco e condições financeiras voláteis", disse Janet.

A próxima reunião para analisar a política monetária do Fed está marcada para 28 e 29 de julho.


Emendas podem atrasar reforma política na Câmara

Carolina Gonçalves – Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

Apesar de ter colocado a reforma política como prioridade para este semestre, o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), admitiu que uma ou duas emendas apresentadas ao texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 182/07) podem ficar para agosto, no retorno do recesso parlamentar que começa na próxima sexta-feira. Os deputados já aprovaram, em segundo turno, o texto-base da matéria, mas precisam hoje (15) decidir se acatam ou rejeitam sete emendas.

Para aprovar cada uma dessas sugestões de mudanças, acréscimos ou retiradas do texto são necessários 308 votos, mas, com movimento menos intenso pelos corredores da Câmara, há riscos de que não haja quorum (número mínimo de parlamentares presentes à sessão) no momento da votação. “Precisamos que tudo que está colocado seja válido para as eleições de 2016”, explicou Cunha.

Para isto, a reforma precisa estar aprovada pela Câmara, pelo Senado em dois turnos de votação e promulgada até outubro, um ano antes do pleito municipal. Ontem, a Câmara concluiu a votação do projeto de lei da minirreforma que complementa trechos da PEC. “A gente sabe que havia que tramitar as duas [reformas] simultaneamente e o texto da reforma política só foi feito depois de tomada a decisão constitucional no primeiro turno do ordenamento que íamos seguir. Uma coisa está conectada com a outra”, explicou.

Cunha comemorou o resultado da minirreforma que classificou como revolucionária. Segundo ele, o projeto vai produzir efeitos a partir do processo eleitoral que poderá ser sentido pela sociedade. “Reduzimos o tempo de campanha, colocamos o teto de gastos e limite de despesa dos candidatos e de contribuições das empresas. Conseguiu-se fazer um arranjo que restringiu muitos itens de propaganda, rearrumou o tempo de televisão, formas de reduzir custos de tempo de televisão colocando o político falando mais tempo”, avaliou.

Mesmo sem conclusão sobre a PEC, no Senado, já há movimentação e acordo em torno do texto, além do esforço de uma comissão especial que analisa outros pontos. Os senadores aprovaram, por exemplo, medida que permite que políticos anunciem pré-candidatura a qualquer tempo, sem incorrer como propaganda antecipada. “Há medidas que já estão combinadas com a gente e já foram aprovadas aqui”.

E acrescentou: “Aquilo que está em [entendimento] comum deverá valer para eleições do ano que vem”, disse Cunha.


FMI vai participar de resgate depois que Grécia pagar o que deve ao fundo

Da Agência Lusa Edição: Carolina Pimentel

O comissário europeu para o Euro, Valdis Dombrovskis, esclareceu hoje (15) que o Fundo Monetário Internacional (FMI) vai participar do terceiro programa de resgate à Grécia, mas só depois que Atenas pagar o que deve ao fundo.

Os montantes em atraso ao FMI somam quase 2 bilhões de euros, além dos 3,5 bilhões que o país tem de pagar ao Banco Central Europeu (BCE) até segunda-feira (20).

“A participação do FMI no terceiro programa de resgate é uma decisão clara dos chefes de Estado e de governo da zona do euro”, disse Dombrovskis, em entrevista à imprensa, adiantando que, como as regras do fundo não lhe permitem participar em programas para países com pagamentos em atraso, “pagar é uma pré-condição”.

A Comissão Europeia propôs hoje que a ajuda de emergência à Grécia, o chamado 'financiamento-ponte', seja feito através do fundo no qual participam todos os 28 Estados-membros da União Europeia, o Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira (EFSM), anunciou o comissário do euro.


Levy discute com deputados proposta de unificação do PIS e da Cofins

Kelly Oliveira - Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, discute hoje (15) com deputados proposta de unificação do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins). Ao chegar ao ministério para a reunião com os parlamentares, Levy disse que o governo tem a intenção de enviar projeto sobre o assunto para a Câmara.

“Estamos conversando com os líderes [partidários] sobre esse projeto. Temos intenção de o mais breve possível enviá-lo para a Câmara para reordenar um dos aspectos importantes da tributação federal”, disse Levy.

O ministro disse que - a exemplo de outra proposta que visa a reformar do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) - o projeto de unificação do PIS/Cofins vai ajudar a equilibrar a economia brasileira.

O governo enviou ao Congresso Nacional nesta semana medida provisória para criar os fundos de Desenvolvimento Regional e de Compensação dos Estados por perdas com a reforma do ICMS. O dinheiro para criação dos dois fundos virá de multas e do novo imposto sobre dinheiro enviado por empresas e cidadãos ao exterior e não declarado à Receita Federal.

“O ICMS é uma coisa de importância extraordinária para os estados, para investimentos nos estados. É uma coisa federativa e, portanto, nós temos o objetivo de ajudar o Senado e os governadores a chegaram a essa acordo”, disse o ministro.


Badminton é garantia de medalhas para o Brasil em Toronto

Iara Falcão – Correspondente da Agência Brasil/EBC Edição: José Romildo

O badminton brasileiro está fazendo campanha memorável nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá. A boa campanha este ano contrasta com o histórico modesto em pan-americanos dos brasileiros: conquistaram apenas uma medalha de bronze, nos jogos do Rio de Janeiro, em 2007, na categoria dupla; e uma medalha de bronze, em Guadalajara, em 2011, na categoria individual.

Ontem (14), a dupla mista Alex Tjong e Lohaynny Vicente já conquistou um bronze. Hoje (15), duas outras duplas vão à final. Daniel Paiola e Hugo Arthuso, no masculino, disputam o ouro com os Estados Unidos, às 15h45 (horário de Brasília). Eles enfrentam a dupla Philip Chew e Satta Pongnairat. Lohaynny vai jogar novamente, desta vez com a irmã Luana Vicente, no feminino: elas enfrentam as norte-americanas Eva Lee e Paula Lynn Obanana, às 15h.

“Treinamos muito lá em Campinas, e a gente veio aqui para ganhar, independentemente de que adversário fosse”, disse Paiola. A dupla também demonstra determinação. “Estamos bem focados para amanhã [hoje], porque a gente quer levar esse ouro para casa”, acrescentou.

Hoje será um dia importante ainda para as competições de polo aquático masculino: a equipe brasileira joga contra a equipe dos Estados Unidos valendo a medalha de ouro, às 21h. A partir das 13h35, ocorrem as finais da ginástica artística. O dia também promete com as etapas finais no remo e as provas da natação.

Essa terça-feira foi um dia recheado de medalhas para o Brasil: houve a estreia de natação, uma das modalidades em que os brasileiros se destacam; houve a canoagem, em que os brasileiros surpreenderam novamente pela velocidade; e houve o judô, em que a equipe brasileira mostrou estratégia firme.

No quadro geral, o número de vitórias voltou a crescer: o Brasil conquistou seis medalhas de ouro, duas de prata e nove de bronze. Agora, o Brasil voltou à quinta colocação, atrás de Canadá, Estados Unidos, Cuba e Colômbia.

Entre as de ouro, Isaquias Queiroz conquistou mais uma na canoagem. Outra foi para Arthur Zanetti, o campeão olímpico das argolas na ginástica artística. Mais duas medalhas de ouro foram para Luciano Correia e David Moura, do judô. David nem vinha para o Pan. Entrou na vaga de Rafael Silva, lesionado durante os treinos. Leonardo de Deus e a equipe do revezamento 4 x 100, da natação, conquistaram as outras duas medalhas de ouro. As medalhas de prata e de bronze foram divididas entre a canoagem, judô, badminton, natação, polo-aquático feminino e levantamento de peso.




Comissão Europeia propõe financiamento à Grécia com fundos da UE

Da Agência Lusa

A Comissão Europeia propôs hoje (15) que a ajuda de emergência à Grécia, o chamado financiamento-ponte, seja feito através do fundo do qual participam os 28 Estados-membros da União Europeia, o EFSM, anunciou o comissário do euro.

Em conferência de imprensa, Valdis Dombrovskis disse que a comissão está consciente das críticas apontadas por vários países de fora da zona euro a esta solução, mas informou que, entre “as poucas opções disponíveis”, o recurso do Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira é “a mais realista”.

“Como sabem, a economia grega está de novo em recessão, o sistema bancário está à beira do colapso e o Estado grego tem pagamentos em atraso”, devendo nos próximos dias efetuar novos pagamentos – o próximo de 3,5 bilhões de euros ao Banco Central Europeu (BCE) em 20 de julho – sublinhou o vice-presidente da Comissão.

Um financiamento-ponte é fundamental, já que o terceiro programa de ajuda, acordado na cúpula da zona euro na segunda-feira (13), só deverá estar em funcionamento dentro de quatro semanas.



Antigo oficial nazista é condenado a quatro anos de prisão

Da Agência Lusa

Um tribunal alemão condenou hoje um antigo oficial do regime nazista, conhecido como “guarda-livros de Auschwitz”, a quatro anos de cadeia.
Oskar Groening, de 94 anos, mostrou-se impassível enquanto o juiz, Franz Kompisch, lia o veredito: “o acusado é considerado culpado de ser cúmplice de homicídio em 300 mil casos legalmente ligados de judeus deportados que foram enviados para as câmaras de gás em 1944”.

Groening serviu de "guarda-livros" no campo de extermínio da Polônia ocupada pelos nazistas, onde contava dinheiro de diferentes moedas europeias, tirado dos que foram mortos ou usados como escravos. O dinheiro era, posteriormente, enviado para os chefes nazistas, em Berlim.

A sentença foi maior do que os três anos e meio que os promotores exigiram no tribunal no norte da cidade de Luneburgo, Alemanha, que julgava o caso desde abril passado.
Groening teve, na terça-feira, a última oportunidade para declarar que estava "arrependido" e que “lamentava muito” o que houve no campo de concentração, dizendo aos juízes que “ninguém devia ter participado em Auschwitz”.
“Eu sei disso. Sinceramente eu me arrependo de não ter tido essa perceção mais cedo e mais consistentemente. Estou muito arrependido”, disse, com "voz vacilante".

Um grupo de sobreviventes do Holocausto declarou, em comunicado, que se congratulava "com a condenação de Oskar Groening”, classificando-a como "um passo tardio em direção à justiça".
Groening reconheceu a “culpa moral”, mas disse que só o tribunal poderia se pronunciar sobre a sua culpa legal, sete décadas após o fim do Holocausto.


Arthur Zanetti é ouro nas argolas do Pan-Americano

Aline Leal - Repórter da Agência Brasil Edição: Stênio Ribeiro

O ginasta Arthur Zanetti ganhou hoje (14) medalha de ouro nas argolas dos Jogos Pan-Americanos, no Canadá. Zanetti já tinha um ouro na competição, mas por equipes, em Guadalajara (2011). Faltava o primeiro lugar no aparelho em que é especialista.

Zanetti foi campeão olímpico em Londres, em 2012; ganhou o Mundial de Antuérpia, na Bélgica, em 2013; e os títulos sul-americanos disputados em Medelín, na Colômbia, em 2010, e em Santiago, em 2014, sempre nas argolas.

Na apresentação de hoje, o ginasta fez 15.725 pontos, uma nota um pouco inferior à que conseguiu na disputa por equipes, classificatória para as finais por aparelhos, quando terminou com 15.800 pontos, mas isso não o impediu de ganhar o ouro, uma vez que o segundo colocado, o americano Donnell Whittenburg, fez só 15.525 pontos, e o terceiro colocado, o cubano Manrique Larduet, ficou com 15.450.

O Brasil não conquistou medalhas nas outras quatro finais por aparelhos do dia. No salto feminino, Daniele Hypólito ficou em quarto lugar. No cavalo com alças, masculino, Francisco Barretto terminou em sexto e Lucas Bitencourt, em oitavo; e no solo, masculino, Arthur Nory foi quinto.


Jogo online conscientiza crianças e jovens para proteção do boto cor-de-rosa

Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil Edição: Stênio Ribeiro

Um jogo online gratuito, criado pela organização não governamental (ONG) World Animal Protection, está sendo usado como ferramenta de educação e comunicação em comunidades da Amazônia para conscientização de crianças e jovens sobre a necessidade de preservação do boto cor-de-rosa, animal símbolo da região.

Denominado Apú e o Espírito do Rio, o jogo é parte da campanha lançada na América Latina para proteção dessa espécie de boto. O problema, disse o coordenador de Campanhas de Vida Silvestre da ONG, Roberto Vieto, é que “o boto cor-de-rosa está sendo caçado de forma cruel, em uma atividade completamente ilegal, para ser usado como isca para a pesca da piracatinga”, espécie de bagre muito consumido na Colômbia.

“A gente está trabalhando bem perto das comunidades do Amazonas em projetos educativos, desde que, em janeiro deste ano, o governo brasileiro decretou uma moratória em relação a essa pesca”, disse ele. Por isso, a ONG procura encontrar alternativas para os pescadores, ao mesmo tempo em que define uma forma de atuar que possa ajudar nos esforços de conservação e proteção do boto cor-de-rosa nas comunidades, gerando conscientização em toda a América Latina. Sobretudo, porque o boto é uma espécie ícone de toda a região amazônica, presente também na Colômbia, na Bolívia, no Peru e no Equador.

A ONG fez uma petição pública para que o governo da Colômbia tome medidas para fechar a fronteira ao peixe piracatinga. A petição já conta com 188 mil assinaturas de pessoas que são denominadas guardiãs do boto cor-de-rosa. Os ganhadores do jogo se convertem também em guardiães do animal e pedem ao governo colombiano que se alinhe à moratória brasileira.

Além de vítima da caça ilegal, o boto cor-de-rosa enfrenta outros problemas de bem-estar animal, disse Vieto. Como espelho do instrumento online de difusão do boto cor-de-rosa, foi lançado também um projeto de educação no município de Uarini, no Amazonas, onde o jogo vai ser usado como ferramenta para plantar a semente da importância que o boto tem no seu papel ecológico e no folclore brasileiro. O objetivo é resgatar a importância dessa espécie entre as crianças e jovens.